Páginas

domingo, 17 de outubro de 2010

É Deus que inspira.


Deus, que me fez, que inspira canções de louvor durante a noite. (Jó 35.10)

Qualquer indivíduo pode cantar à luz do dia.
Quando a riqueza o cerca com abundância,
qualquer homem pode louvar o Deus que lhe dá colheitas abundantes
ou abençoa grandemente os seus negócios.
E muito fácil para o conjunto de sinos ecoar músicas
quando o vento está soprando;
o difícil é a música ressoar quando nenhum vento está soprando.
E fácil cantar quando podemos ler a notas à luz do dia,
mas aquele que é habilidoso canta do seu coração.
Nenhum homem pode fazer uma música na escuridão de sua alma.
Ele pode tentar, mas descobrirá que a música à noite
tem de ser inspirada por Deus.

Quando todas as coisas vão bem,
posso entoar canções por onde quer que eu vá,
regozij ando-me pelas flores que crescem em meu caminho.
Todavia, coloquem-me em um deserto
onde não cresce qualquer coisa verde,
e como poderei cantar um hino de louvor a Deus?
Se minha voz é clara e meu corpo, saudável,
posso cantar louvor a Deus.
Silencie-se a minha língua,
seja eu prostrado no leito da enfermidade,
como poderei entoar os altos louvores de Deus,
a menos que Ele mesmo me inspire as canções?
Não, não está no poder do homem cantar a Deus,
quando todas as coisas estão contra ele,
a menos que a música do céu encha a sua alma.
Foi uma canção divina que Habacuque cantou,
quando disse:
"Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide;
o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento;
as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco,
e nos currais não haja gado,
todavia, eu me alegro no SENHOR,
exulto no Deus da minha salvação" (Habacuque 3.17-18).

Visto que nosso Criador nos inspira canções à noite,
esperemos nEle para recebermos as músicas.
Ó Grande Músico, não permita que permaneçamos em silêncio
por causa de nossas circunstâncias.
Ajusta os nossos lábios à melodia de ações de graças.

Charles Haddon Spurgeon