Páginas

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Como ler a Bíblia?

“Para muitos cristãos, a Bíblia é como licença de software: eles não leem, mas clicam em “Concordo” no final. (@almightygod)”
Lendo o tweet acima, tenho que reconhecer essa é a forma com que muitos de nós tratam a Bíblia, infelizmente.
Lembro-me que a revista Ultimato, em 2004, trouxe dados sobre uma pesquisa feita com 878 estudantes de teologia. Desses estudantes, apenas 40% havia lido a Bíblia mais de uma vez, enquanto que 38% haviam lido apenas parcialmente. Esses dados mostram que até mesmo os que pensam em ser pastores não estão lendo a Bíblia.
Precisamos ler a Bíblia.  Precisamos meditar em suas Palavras. Contudo, ela não deve ser lida como uma licença de software, pois  quem lê essa licença (assim como quem clica em “concordo” sem ler), o faz a fim de utilizar um serviço, um programa. Nossa leitura da Bíblia tem outra finalidade. Não devemos lê-la a fim de utilizar um serviço, mas devemos ler para servir. Lemos as Escrituras para saber a vontade dAquele a quem nos entregamos como servos, a quem reconhecemos como Senhor. Até mesmo porque não adianta chamá-lo de Senhor sem fazer o que ele manda (Lc. 6:46).
Nossa postura com a Bíblia também não deve ser como a de quem lê as cláusulas de um contrato: se as cláusulas nos agradam, assinamos. Não deve ser assim. Uma vez que já reconhecemos Jesus como Senhor de nossas vidas, nossa relação com a Palavra dEle deve ser a de quem busca saber a vontade do nosso Senhor, com o fim de obedecê-la, com plena confiança em Sua direção.
É assim que Jesus nos ensina a nos relacionarmos com suas palavras. Elas estão aí, à disposição de todos nós. Mas estão aí para serem obedecidas, praticadas, vividas. Diante disso, abracemos de coração a Palavra do Senhor, já que ela é luz para o nosso caminho, lâmpada para os nossos pés.
“Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha” (Mt. 7:24).
“Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada” (Jo. 14:23).