Páginas

domingo, 6 de fevereiro de 2011

No deserto ou no sucesso

@Francoamd7 O sucesso e o deserto não fazem mal ao homem, apenas provam os nossos corações. O cetro ou a vassoura podem revelar o que somos, apenas isso.
É um equívoco associar toda espécie de sofrimento à provação. À luz das Escrituras, vemos que há sofrimentos que surgem em função de más semeaduras, tendo em vista que “Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará” (Gl. 6:7). Também podemos sofrer devido à disciplina de Deus, pois “o Senhor corrige o que ama, E açoita a qualquer que recebe por filho” (Hb. 12:6). A falta de conhecimento é outra causa de sofrimentos(Os. 4:6). Mas, não podemos diminuir a importância que a provação tem na vida daquele que decidiu seguir a Jesus. Como escreveu Tiago: “a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança” (Tiago 1:3).

Somos provados quando Deus nos leva a passar por situações que revelam o que há em nossos corações. Foi esse o caso de Israel no deserto: “Recordar-te-ás de todo o caminho pelo qual o SENHOR, teu Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos” (Dt. 8:3). Mas o objetivo de Deus não é revelar o que há nos nossos corações para nos condenar. Assim como Deus provou Israel no deserto para no final lhe fazer bem (Dt. 8:16), Tiago nos diz que o objetivo de Deus é nos aprovar: “Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam” (Tg. 1:12).

Porém deveríamos sempre lembrar que Deus não nos prova apenas em meio á dor e sofrimento, em meio ao deserto. Como é dito no tweet acima, o sucesso também prova, revela o que há nos corações: “Como o crisol prova a prata, e o forno, o ouro, assim, o homem é provado pelos louvores [elogios] que recebe” (Pv. (27:21). É importante lembrar, que assim como Israel foi provado no deserto, o rei Ezequias foi provado em seu sucesso, ao expor sua riqueza e glória aos embaixadores da babilônia; “quando os embaixadores dos príncipes da Babilônia lhe foram enviados para se informarem do prodígio que se dera naquela terra, Deus o desamparou, para prová-lo e fazê-lo conhecer tudo o que lhe estava no coração” (II Cr. 32:31). “Ezequias se agradou dos mensageiros e lhes mostrou toda a casa do seu tesouro, a prata, o ouro, as especiarias, os óleos finos, o seu arsenal e tudo quanto se achava nos seus tesouros” (II Rs. 20:13).

Ser bem-sucedido, em qualquer área da vida, não é sinal da aprovação de Deus, e pode ser uma provação, tal como passar pelo deserto. Cabe a nós saber lidar com isso, lembrando sempre que “não é aprovado quem a si mesmo se louva, e sim aquele a quem o Senhor louva” (II Co. 10:18).

Passando pelo deserto ou pelo sucesso, fica uma pergunta para reflexão: que louvor (elogio) Deus estaria fazendo a você hoje?

Em Cristo,
@AndersonPaz (em CONEXÃO ECLÉSIA)