Páginas

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Diferença entre Rio e Lago.

Está na hora de tomar rumos novos, e começar a ver a vida como um rio, e não como um lago.
Os rios possuem águas correntes, eles começam mansos e rasos, e aos poucos, isso em quilômetros, vai se aprofundando, saindo dos calcanhares, chegando a 1 metro de profundidade, já com velocidade de correnteza um pouco mais forte.
O lago aprisiona e deixa estacionado tudo de útil e de inútil. Não elimina nada a não ser que alguém tire dali, ou que suma sozinho. Geralmente não são tão profundos como rios, e se são, acumulam coisas em seus fundos não tão belas. Lago me lembra mesmice, rios me lembram mudanças.
Rios são fortes pra fazer acontecer, lagos se conformam.
E conforme vai passando o tempo, o rio desvia de pedras enormes e segue seu curso, com correntezas fortes passando por cima e contornando os obstáculos sem medo. Podendo se transformar numa enorme cascata, como uma catarata gigante, linda, absolutamente poderosa demais pra ser vencida. Arrastando tudo o que vem pela frente, continua invencível independente dos obstáculos.
Eu adoraria fazer essa analogia com respeito a mim mesma. Não quero ser um rio que não contorne pedras, que não vença a lama, que se aprisione com a barragem. Eu quero seguir contornando e vencendo, deixando os obstáculos pra traz, limpando as sujeiras pelo caminho.
Entendendo que o que passou, ficou pra trás e não pode ser mais restaurado, que a força de uma correnteza é grande demais pra trazer algo de volta. Que não vale a pena recolher os destroços mas continuar seguindo em frente o curso das águas.

Vi lá no lindo blog da Joyce Adeline