Páginas

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Quando coisas ruins acontecem com pessoas boas

Achei essa resenha fuçando o "A Vida Certa", postado por Bia Lis, eu gostei e espero que gostem também:

Olá a todos!! Hoje resolvi escrever uma resenha do capítulo 8 do livro 'É tempo de ser Ousado' do Michael W. Smith ! Um livro muito bom que recomendo.

Capítulo 8: Quando coisas ruins acontecem com pessoas boas – Crescendo com a crise fls. 106-115)

Neste capítulo, o autor diz que, muitas vezes, as circunstâncias podem destruir as melhores intenções quando se quer confortar pessoas que lidam com suas tragédias, até porque tragédias nunca fazem muito sentido, principalmente quando acontecem a pessoas boas.

Ele diz que, nesse momento, deve-se lembrar de que Deus é um Pai profundamente compassivo, que se preocupa quando sofremos e entende a raiva, a confusão e tristeza que se sente, porque Sua tristeza é tão real como a nossa. Destaca que mais importante do que a capacidade que Deus tem de entender nossa dor, é o porquê Ele a entende. Ninguém sabe mais sobre a morte e a dor de ver alguém que não merecia sofrer do que Deus, pois Ele permitiu que Seu filho fosse crucificado e morto por nós, muito embora pudesse ter impedido que isso acontecesse, assim como também poderia impedir todas as tragédias que acontecem com pessoas boas.
Michael afirma que o sofrimento é inevitável e pode alcançar qualquer um, bons ou ruins, relatando que o próprio Jesus já havia advertido seus discípulos dizendo que “No mundo tereis tribulações; mas, tende bom ânimo; eu venci o mundo” (Jo 16.33 – VR).

Segundo o autor, a forma de lidar com as dificuldades no momento em que elas aparecerem é que determinará quem a pessoa se tornará, já que as dificuldades podem ser uma parte do plano de Deus para o crescimento.

Classificando as pessoas não pela fraqueza ou força, pelo sucesso ou fracasso, mas pelo que aprendem ou não com a vida, diz que aquelas que estão aprendendo, quando erram, sofrem e não cometem o mesmo erro novamente e, quando acertam, elas fazem a mesma coisa ainda melhor da próxima vez, sem se tornarem orgulhosas ou hipócritas. Estas pessoas, afirma, ficam em sintonia para ouvir o que Deus está lhes dizendo em meio à dor, razão pela qual acabam se tornando pessoas de grande caráter e agudeza.
Fazendo uma alusão ao topo de uma montanha, onde o ar é muito escasso e o solo rochoso com a terra preta e rica do vale, ele diz que Deus sabe que muitas pessoas precisam das riquezas produzidas no vale para crescer, pois somente quando se está arruinado é que Deus tem sua melhor chance de agir, já que Ele sabe que estamos mais à sua disposição quando nosso orgulho está fora do caminho.

Ressalta que não se deve perder a esperança ao passar pelo vale, ainda que se esteja sofrendo em decorrência das más escolhas feitas no passado, haja vista que se a cruz mostra a pior coisa que já se fez, ao mesmo tempo mostra a cura que Cristo ofereceu.
Destacando a necessidade de glorificar a Deus em resposta ao sofrimento, afirmou que não há testemunho melhor para o mundo do que os cristãos que permanecem firmes no sofrimento, pois ainda que a fraqueza seja compreensível em meio à dor, dá aos homens a certeza de que Deus é quem renova as forças e dá uma nova razão para viver. 




Como eu já disse, vi lá no