Páginas

segunda-feira, 20 de abril de 2015

EM BUSCA DAS PALAVRAS CERTAS


Há momentos em que precisamos de palavras que nos animem.
Diante de uma doença, em nosso corpo ou no corpo de uma pessoa querida, precisamos de palavras que nos estimulem a lutar pela vida.
Há momentos em que precisamos de palavras que nos despertem.
Diante do erro em que nos metemos ou dos caminhos equivocados que nos soam como bons, precisamos de palavras que nos mostrem melhores itinerários.
Há momentos em que precisamos de palavras que nos confortem.
Diante da perda de uma pessoa que era parte de nossa história, dilacerada agora por sua presença esculpida com a certeza dolorosa da saudade, precisamos de palavras que colham as nossas lágrimas. 
Há momentos em que precisamos de palavras que nos alegrem.
Diante de uma festa, para celebrar um nascimento, um aniversário, um casamento, uma vitória, precisamos de palavras que se juntem à nossa celebração.
Dizer essas palavras exige de nós um coração que se importa com a vida do outro, que não se alimenta de palavras feitas, mas de palavras produzidas pelo sentimento verdadeiro.
Dizer palavras verdadeiras exige de nós sabedoria para aparar a sedução dos excessos e conter a tentação das mentiras.
Palavras que animam, despertam, confortem ou alegrem não podem doer, amargurar ou matar.
Por isto, em muitos casos, nossas palavras para estas pessoas precisam ser mínimas ou mesmo nenhumas, porque simplesmente substituídas por abraços generosos.
Antes de lhes falar, precisamos pensar as palavras que vamos dizer. Para pensar palavras que tragam vida, precisamos orar, pedindo a Deus sabedoria, coragem, solidariedade e alegria.

Desejo-lhe um BOM DIA.
Israel Belo de Azevedo