Páginas

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Como Eu Era Antes de Você

Livro: Como Eu Era Antes de Você
Autor: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
320 páginas
3 estrelas (quase apagando, coitadinhas)


Sinopse:
Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Sua vidinha ainda inclui o trabalho como garçonete num café de sua pequena cidade - um emprego que não paga muito, mas ajuda com as despesas - e o namoro com Patrick, um triatleta que não parece muito interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor tem 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de ter sido atropelado por uma moto, o antes ativo e esportivo Will agora desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Sua vida parece sem sentido e dolorosa demais para ser levada adiante. Obstinado, ele planeja com cuidado uma forma de acabar com esse sofrimento. Só não esperava que Lou aparecesse e se empenhasse tanto para convencê-lo do contrário.
Uma comovente história sobre amor e família, Como eu era antes de você mostra, acima de tudo, a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.



O início do livro eu achei muito chato, a Jojo “fala” demais, é muito prolixa para meu gosto. No entanto, é um livro que leva você a pensar mais adiante e a observar em silêncio o desenvolver da história que começa a girar em torno de Will e sua decisão.

O livro é narrado na primeira pessoa por quase todos os personagens, mas Louisa é quem mais narra. Muita gente narrando, se fosse na terceira pessoa teria sido melhor, eu acho, sei lá!

Louisa a princípio também é chata, sem perspectivas e covarde diante do desafio e fiquei decepcionada quando a primeira ideia de ajudar Will não veio dela, mas da irmã. Realmente ela não é cativante. No desenvolver da história é que ela evolui, mas confesso que demorou demais. Will é o personagem mais cativante, primeiro por causa do seu problema, que mexe com nosso sentimento, depois por sua personalidade forte.

É uma história triste, mas disseram que o final era bom. Então, eu li o livro todo e acho que não cheguei no final hehehehehe… Não teve surpresa, reviravolta ou um argumento forte que justificasse a escolha de Will.

Bom, leva as 3 estrelas sem brilho, e não lerei o livro dois que será lançado em janeiro de 2016. Não podemos dizer nunca, porque é igual a cuspir pra cima, cai na cara, mas a princípio, não leio mesmo.

Bjoo