Páginas

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Filho Dourado

Livro: Filho Dourado - Fúria Vermelha livro 2
Autor: Pierce Brown
Editora: Globo Livros
549 páginas
5 estrelas

Sinopse:
Dois anos após a conclusão do Instituto, o jovem descobrirá que se infiltrar na elite da sociedade e destruí-la por dentro será mais difícil do que parece. Sua primeira vitória atraiu novos inimigos que usam a intriga e a política em vez das armas. E ele terá que aprender a combatê-los.


A mistura de crítica social, ação, distopia e cultura pop que conquistou os leitores em Fúria Vermelha vai além no segundo volume. Novos personagens entram em cena, as disputas chegam a novos pontos do sistema solar. O autor criou uma trama emocionante e cheia de reviravoltas que prendem o leitor até a última página.

Pierce Brown criou um universo fascinante que mistura viagens espaciais, colônias interplanetárias e alta tecnologia com a mitologia grega. O primeiro livro da trilogia, Fúria Vermelha, será adaptado para o cinema por Marc Forster, diretor de Guerra mundial Z.

Pierce Brown mantém a mesma proposta do primeiro livro, Fúria Vermelha, uma história com ritmo e ação, muita ação nesse livro. Agora já com tudo o universo “novo” assimilado a leitura flui, graças a escrita excelente de Brown.
Com isso a vida de Darrow também continua com ritmo e ação, o que não quer dizer que sempre sejam coisas boas, esse é um “mocinho” que se lasca legal! Tem momentos que aperta o coração com as coisas que acontece com ele, porque a gente espera algo totalmente diferente. Brown com certeza pegou umas aulas com George R. R. Martin, mas quis fazer um pouco diferente, no lugar de matar faz o cara sofrer. E fez assim, o cara sofre pra caramba. E tem horas que ele irrita o leitor, quando a gente sabe que algo vai acontecer e ele começa a descrever o cenário sem pressa, na maior calma, caramba!!! Mas na hora das lutas… ahhh na hora das lutas, a gente chega a perder a respiração no meio dos movimentos e golpes. É muito bom, sem brincadeira, é de prender a respiração! Mas mal acabando uma confusão, outra surge. A vida de Darrow não é nada entediante, excelente para o leitor e coitado dele (ainda não sei se é coitado do leitor ou do personagem).
Em um dos momentos que Darrow consegue respirar ele diz consigo: “Estou mijando na porra do meu traje”. O negócio não é fácil para ele, aliás, nunca é. E os momentos que antecedem a guerra são tensos, o autor trabalha em nossos nervos, sem brincadeira! E a guerra? O que é isso? Meu Deus! Quase tenho um ataque. Darrow faz com que eu me lembre de Rocky Balboa (Com Sylvester Stallone) que leva uma surra lascada, até quase morrer, e só no finalzinho ganha a luta, bem, Rocky ganha a luta agora Darrow.... “Mó” canseira, tadinho…
Também tem umas partes mais calmas, carinhosas, como quando ele se entrega ao finalmente ao novo amor. A parte linda, quando encontra a mãe…
Agora… A G O R A o final! Só falando um palavrão bem grande e deixando a boca cair!! Gente, Darrow é um fu… fu… fumado hehehehehehe coitado… Você não vai acreditar no final, nunca!! Não, ele não morre, ou será que morre? Eita!
Amei tudo nesse livro, apesar do desespero hehehehe Não é um livro comum, onde o “mocinho” se dá bem ou é um príncipe encantado (mas cá entre nós, após que era lindão!!).
Agora é aguardar o terceiro livro, ai que desespero!!!
RECOMENDO.
Bjoo