Páginas

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Sete Dias Sem Fim

Livro: Sete Dias Sem Fim
Autor: Jonathan Tropper
Editora: Arqueiro
304 páginas
4 estrelas



Sinopse:
Judd Foxman pode reclamar de tudo na vida, menos de tédio. Em questão de dias, ele descobriu que a esposa o traía com seu chefe, viu seu casamento ruir e perdeu o emprego. Para completar, seu pai teve a brilhante ideia de morrer. Embora essa seja uma notícia triste, terrível mesmo é seu último desejo: que a família se reúna e cumpra sete dias de luto, seguindo os preceitos da religião judaica.
Então os quatro irmãos, que moram em diversos cantos do país, se juntam à mãe na casa onde cresceram para se submeter a essa cruel tortura. Para quem aprendeu a vida inteira a reprimir as emoções, um convívio tão longo pode ser enlouquecedor.
Com seu desfile de incidentes inusitados e tragicômicos, Sete dias sem fim é o livro mais bem-sucedido de Jonathan Tropper. Uma história hilária e emocionante sobre amor, casamento, divórcio, família e os laços que nos unem – quer gostemos ou não.



Já no início do livro podemos perceber que a situação de Judd, que narra a história, não está muito favorável. A morte do pai, a traição da esposa, que ele ainda ama, que lhe dá uma notícia para aumentar a confusão.
Judd expõe toda a carga emocional que a traição de sua esposa causou, faz com que a gente veja e sinta sua dor. São momentos tensos de dor. E por falar em expor, a família Foxman não tem medo algum de falar o que pensa, e quando o faz usa da mais pura sinceridade e franqueza, o que eleva a todo momento o nível de tensão entre eles. Agora imagine quatro irmãos e mais a mãe, já todos casados ou quase, com filhos e com suas experiências de vida, vivendo tudo junto novamente, por sete dias? Um último desejo do pai que acaba de falecer.
Todo mundo nessa família é meio Dr. House, então os diálogos são sempre “interessantes e inspiradores”. Agora imagine pessoas magoadas, estressadas tendo conversas sem filtro algum. Os acontecimentos que vão desencadeando na vida de Judd nos faz pensar que até que ele forte, mas quanto mais ele pode suportar?
 “É um convívio familiar muito intenso. Acho que vamos precisar de um ano longe uns dos outros quando isso acabar

Mas no meio de tanta coisa acontecendo, porque é uma história em movimento, eles vão desabafando e descobrindo coisas sobre eles e sobre os outros.





A vida puxou o tapete de Judd Foxman e ele está em queda livre. Nessa trajetória até o chão, ela vai tentando se equilibrar para cair de pé.
É um livro rico, que nos faz pensar e sentir. Recomendo.

Bjoo


P.S.: Tem o filme, mas como sempre, não chega aos pés do livro, inclusive mudaram até o sobrenome da família e também o nome de alguns personagens, sem contar que inventaram umas coisas e suprimiram os diálogos excelentes.

E mesmo assim vale a pena assistir.



quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Sr. Daniels

Livro: Sr. Daniels
Autor: Brittainy C. Cherry
Editora: Record
322 páginas
4 estrelas
Sinopse:
Depois de perder a irmã gêmea para a leucemia, Ashlyn Jennings vê sua vida mudar completamente. Além de ter de aprender a conviver sem parte de si mesma, ela precisa se adaptar a uma nova rotina. Enviada pela mãe para a casa do pai, com quem mal conviveu até então, ela viaja de trem para Edgewood, Wisconsin, carregando poucos pertences, muitas lembranças e uma caixa misteriosa deixada pela irmã.

Na estação de trem Ashlyn conhece o músico Daniel, um rapaz lindo e gentil, e a atração é imediata. Os dois compartilham não só o amor pela música e por William Shakespeare mas também a dor provocada por perdas irreparáveis. Ao sentir-se esperançosa quanto a sua nova vida, Ashlyn começa o ano letivo na escola onde o pai é diretor. E não consegue acreditar quando descobre, no primeiro dia de aula, que Daniel, o belo músico de olhos azuis com quem já está envolvida, é o Sr. Daniels, seu professor de inglês. 
Desorientados, eles precisam manter seu amor em segredo, e são forçados a se ver como dois desconhecidos na escola. E, como se isso já não fosse difícil o bastante, eles ainda precisam tentar de todas as formas superar os antigos problemas e sobreviver a novos e inesperados conflitos.
Em tempos diferentes a história vai sendo narrada na primeira pessoa, primeiro por Daniel, no passado e depois por Ashlyn já no presente (depois os dois narram no presente). Nos dois casos as histórias começam com tristeza e morte na família. Mas não pense que essa é uma parte triste. Triste mesmo são as cartas que a Gabby, a irmã de Ashlyn deixa para ela, não há tristeza nas cartas, mas o fato dela já ter morrido e tê-las deixado endereçada para irmã. Ela escreveu uma lista de coisas para a irmã fazer: Momento – respira fundo.

Sim, fiz sua lista de coisas a fazer antes de morrer, porque sabia que você nunca faria isso. Para cada item cumprido há uma carta que você deve abrir, como se eu estivesse bem ali do seu lado”

Assim, ela pega sua lista e vai embora para casa do pai (Henry), em Wisconsin, que tem outra família, na verdade, ele se casou com Rebecca que tem dois filhos, Ryan e Hailey. Esses são uma surpresa na vida de Ashlyn.
A vida de Daniel e Ashliyn é cercada de morte e tristeza, tá louco!!! Clima pesado, sem contar o mal humor (também né?!).
Agora, um momento de sorriso e suspiros. Que encontro lindo o deles no bar! Muito fofo. Fiquei com o rosto dolorido de ficar sorrindo feito boba. Para qualquer romântica sonhar e se apaixonar. E depois de todo romance e corações pulsantes… vem o a escritora e estraga tudo, lógico, senão o livro acabaria agora. Antes é preciso fazer o leitor sofrer, amargar. Então, depois de um fim de semana encantador e um encontro marcado para terça-feira, vem a tal da segunda-feira, escola nova para Ashlyn e… a “surpresa”, adivinha? Meio clichê, mas tudo bem. Pois é, Daniel Daniels é seu professor. Aqui no Brasil não faz menor diferença, desconfio até que dá prestígio, mas lá nos EUA, a coisa é diferente.
A história de nome dobrado é bonitinha e o nome dela também tem motivo.
Até final do livro acredito que Ashlyn será internada com desidratação, porque o que chora não está no gibi!
Lembra que eu falei sobre a escritora que vem e estraga tudo? Pois é, ela estragou no meio do livro, porque um pouco depois ela piorou a situação. Emergência!!! Soro na veia de Ashlyn, senão ela não dura até o final do livro hehehehehe
Não é somente um livro com uma história de amor. Brittainy C. Cherry aborda assuntos delicados como perdas, luto, sexualidade, conflitos familiares, culpa, amizade. Ela não debate, ela expõe e mostra ao leitor a carga de cada um e sua forma de lidar com ela, e isso nos leva a pensar qual seria a nossa reação diante de cada situação. A forma como ela escreve nos leva a pensar que ela é uma pessoa carinhosa. Engraçado, mas a autora transmite isso, pela delicadeza que ela escreve.
E é um livro que faz você pensar, sentir e chorar.

Você vai se apaixonar pelo Sr, Daniels, por Ashlyn, Gabby e Ryan, e, vai chorar e ter uma ressaca literária de rachar o coração.
Amei esse livro. Quem me indicou foi a Bárbara do Segredo Entre Amigas, aliás, vou deixar abaixo o vídeo muito legal com dicas excelentes.
Bjoo


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Fangirl

Livro: Fangirl
Autor: Rainbow Rowell
Editora: Novo Século
424 páginas
3 estrelas

Sinopse:
Cath é fã da série de livros Simon Snow. Ok. Todo mundo é fã de Simon Snow, mas para Cath, ser fã é sua vida – e ela é realmente boa nisso. Vive lendo e relendo a série; está sempre antenada aos fóruns; escreve uma fanfic de sucesso; e até se veste igual aos personagens na estreia de cada filme.
Diferente de sua irmã gêmea, Wren, que ao crescer deixou o fandom de lado, Cath simplesmente não consegue se desapegar. Ela não quer isso. Em sua fanfiction, um verdadeiro refúgio, Cath sempre sabe exatamente o que dizer, e pode escrever um romance muito mais intenso do que qualquer coisa que já experimentou na vida real.
Mas agora que as duas estão indo para a faculdade, e Wren diz que não a quer como companheira de quarto, Cath se vê sozinha e completamente fora de sua zona de conforto.
Uma nova realidade pode parecer assustadora para uma garota demasiadamente tímida. Mas ela terá de decidir se finalmente está preparada para abrir seu coração para novas pessoas e novas experiências.
Será que Cath está pronta para começar a viver sua própria vida? Escrever suas próprias histórias?


Narrada na terceira pessoa, a história começa no primeiro dia de faculdade de Cath, que a primeira vista demonstra ser insegura e imatura.
A escrita de Rainbow Rowell é gostosa e leve. Apesar de ler, ler e nada acontecer, a gente continua na leitura, porque sabemos, ou, pelo menos, temos forte esperança de que algo vá acontecer. O que não gostei mesmo são as histórias criadas por Cath, toma boa parte do tempo e são chatas.
E a gente continua a leitura, já mais da metade do livro e nada, nada acontece. Só confirmamos que Cath é muito chata, problemática e nada carismática. O contrário de Levi, que é ex-namorado de sua colega de quarto, a Reagan, e que passa ser seu namorado. Levi é um amorzinho, a melhor coisa do livro. Esse livro deveria ter sido na primeira pessoa, narrado por ele.
Até a metade do livro não acontece nada. Nem depois hehehehe… Não tem aventura, não tem drama, não tem suspense, não tem terror, não tem uma história de amor, não tem crime, nem revelações. Um livro que não tem nada, mas você lê ele todinho, impressionante.
Vou procurar um livro que me dê o que falar.
Bjoo




terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Antes que Aconteça

Livro: Antes que Aconteça - Depois do que Aconteceu #2
Autor: Juliana Parrini
Editora Suma de Letras
237 páginas
1 estrela



Sinopse:

Cumpri o que ele havia me pedido, segui em frente. Sou feliz e pretendo ter os filhos mais lindos do mundo, como sempre sonhei, com o homem que me deu a chance de amar novamente. Depois de todo o sofrimento, finalmente, colei os cacos do meu coração partido, pedaço por pedaço.”

Isabel passou um ano fugindo. Depois de uma grande desilusão, ela não acreditava que conseguiria ser feliz novamente. Até que conhece Daniel e decide recomeçar. Quando Isabel finalmente dá uma segunda chance ao amor, o destino a surpreende com uma notícia que poderá mudar sua vida para sempre.





A narração desse segundo volume ainda é na primeira pessoa, por Alex, Daniel, Isabel. E a escrita de Juliana Parrini continua fraca (os diálogos então!).
Alex ainda está na Alemanha, mas está disposto a voltar ao Brasil e reconquistar Isabel, que está muito bem, obrigada, com Daniel.
Daniel percebe que Isabel está estranha e descobre que Alex deu notícias, mas antes tem aquele drama de esconder que Isabel ama fazer (afff).
Alex é uma besta vacilona, Daniel uma besta insegura, Isabel uma besta confusa hehehehehe… Um triângulo “bestial” se forma.
(Uma pausa: Senhor dai-me paciência, entendimento e aceitação que fui eu que escolhi esse livro para ler, amém).
Pois bem, como eu ia dizendo, um triângulo “bestial” se forma. Um mimimi de todos os lados:
eu te amo,
confia em mim,
você não confia,
vou reconquistar,
não vivo sem você,
vou lutar por você,
te amo,
te amo…
(afffffff)

E fica nisso…
você me traiu,
eu te amo,
não te traí,
eu te amo…
aí vem a famigerada palavra: ACABOU!


Olha, esse livro me tirou do sério, mas vamos lá…
Daniel besta terminou, a besta da Isabel viaja, e, para de tomar o anticoncepcional, volta de viagem e dorme com Alex besta (notou o detalhe do anticoncepcional né?), depois os bestas do Daniel e Isabel reatam. E a besta aqui fica indignada com rumo dessa história mal contada.
Agora vai spoiler. Eu não costumo fazer isso, mas meus hormônios estão borbulhando e eu estou 'besta' com essa história!
A besta da Isabel está grávida do Alex besta, que morre (gente, ele morre, o que é isso????). Os bestas do Daniel e Isabel terminam, de novo, novamente, outra vez, again. Depois eles reatam e se casam (ai meu pai, o amor é lindo!!!! hehehehe).
Olha, só terminei de ler porque era meta do Skoob e não queira abandonar livro logo no início do ano, mas não foi fácil. Acredito que Juliana Parrini deva ser escritora nova, porque a tanto a escrita quanto a história precisam ser melhoradas.
Bjoos aliviados agora (ufa!)

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Depois do que Aconteceu

Livro: Depois do que Aconteceu - Depois do que Aconteceu #1
Autor: Juliana Parrini
Editora Suma de Letras
344 páginas
2 estrelas

Sinopse:

O vazio deixado por Alex está sempre comigo, e isso é bom, porque essa dor me dá a certeza de que a sua existência em minha vida foi real. E o mais difícil nessa batalha que se estende dia após dia é ficar longe de quem você mais queria estar perto.”

Isabel passou o último ano fugindo. Depois do que aconteceu, a jovem não acredita que conseguirá ser feliz novamente. O que ela não esperava era que o destino colocaria Daniel Clark em seu caminho. A atração entre os dois é imediata e irreversível: ao voltar para casa, a carioca Isabel não será capaz de esquecer os encantadores olhos azuis daquele cara que conheceu por acaso em plena avenida Paulista.

A partir desse dia, a tristeza de Isabel perde espaço para uma paixão que mudará a sua vida. Ficar presa ao passado vale mesmo a pena? Ou é preciso seguir em frente e dar uma segunda chance ao amor?



A escrita de Juliana Parrini é bem simples, do cotidiano, podia até não ser tanto, perde um pouco da nobreza. Os diálogos são pobres, bobos até, eu diria. A história é narrada na primeira pessoa, por Isabel. E já começa com tristeza (ainda) de uma história de amor já terminada a um ano. E por esse motivo a história vai sendo contada ora no presente, ora no passado, assim vamos conhecendo tudo que aconteceu com Isabel.
Para sair da “fossa” e dar uma mudada na vida, Isabel viaja com o pai para São Paulo, para espairecer e visitar a tia e primos, que aliás, estão de mudança para o Rio e vão morar no mesmo prédio de Isabel.
Passeando em plena av. Paulista ela é “atropelada” pelo lindo Daniel. Desse “acidente” eles se aproximam, saem, se sentem atraídos, até aí tudo bem. Ela volta para o Rio, dias depois ele aparece, porque não conseguiu resistir (affff). Na semana seguinte os primos vão visitar Isabel e ela prepara um jantar. A prima de Isabel leva o namorado – pausa para minha revolta – adivinha quem é o namorado da prima??? Pois é, fala sério heim!!!
E essa brincadeira chata de gato (Daniel) e rato (Isabel), rola. Conto, não conto, ciúme, me apaixonei, me deixe, não me deixe… ou seja, o de sempre. Mas piora, ou não, sei lá! Com um mês o cara já diz que ama!!!! Se fosse a mulher, até entenderia, mulher carente é a maior trouxa! Hehehehehehe… mas homem dizer que ama em um mês???? Conto de Fadas? Atração, química, até finjo e deixo passar, mas amor? Forçou.
Mas tem as partes boas, por exemplo Daniel é apaixonado, carinhoso e apesar de Isabel tentar evitar esse “romance”. Tem umas partes tensas e uma parte deliciosa de ação e tapas da Isabel, tirei o chapéu pra ela!! hehehehehe
Agora, ruim é o desfecho da história de Alex com Isabel, que final lascado de ruim! Que na verdade, não é tão final assim. Logo agora que estava tudo bem, todos pingos nos “is” (depois de episódios bem chatos de vai de vem). Como a gente sabe, as coisas podem virar e piorar, pois é, é esse o caso. A coisa vai ficar feia, e a gente só vai saber no segundo livro. Até lá eu vou tomar tônico e vitamina para ter forças para ler, porque não foi fácil ler tanto clichê reunido, e olha que não ligo pra clichê!
Bjoo

O cavaleiro de Ferro

Livro: O cavaleiro de Ferro - Os Encantados de Ferro # 4
Autor: Julie Kagawa
Editora: Underworld
361 páginas
4 estrelas

Sinopse:

Para o príncipe Ash, o amor era uma fraqueza para os mortais e tolos. Sua amada teve uma morte horrível, destroçando qualquer sentimento que o príncipe de Inverno tenha tido. Ou era o que ele pensava. Até Meghan Chase, uma garota meio humana, meio princesa da Corte de Verão, atravessar suas barreiras, tornando-o através de um juramento irrevogável seu cavaleiro. Quando tudo estava desmoronando em Faery por causa do novo Reino do Ferro, ela cortou seu vínculo com o príncipe para salvar a vida de Ash. Meghan agora é a Rainha do Ferro, governante de um reino onde nenhuma das cortes de Inverno ou de Verão pode sobreviver.

Com a (indesejada) companhia de seu inimigo brincalhão da Corte de Verão Puck e o enfurecido Cait Sith Grimalkin, Ash começa uma viagem para encontrar uma forma de honrar a sua promessa solene de ficar ao lado de Meghan. Para sobreviver no Reino do Ferro, Ash deve ter uma alma e um corpo mortal. Mas os testes que ele deve enfrentar para ganhar o que procura são impossíveis. Pelo menos, ninguém nunca viveu para contar a história.

E então Ash descobre algo que muda tudo. Uma verdade que transforma a realidade de cabeça para baixo. Os desafios e seus piores medos mostram-lhe que, às vezes, é preciso mais do que coragem para fazer o sacrifício final.


Agora é a vez do príncipe Ash narrar a história, ótimo para conhecermos o “garoto-gelo”.
Meghan agora é Rainha Iron e tomou o trono no reino de Iron faery. Um lugar onde Ash não poderia seguir – uma criatura faery cuja essência enfraquece, queima e, por fim, mata ao toque do ferro. Agora ele procura uma maneira de tornar possível permanecer com Meghan. E saiu em uma jornada com Puck. E onde Puck está é diversão, pelo menos para o leitor. Eu amo o Puck.
Durante essa busca de Ash por uma alma para se tornar mortal a narrativa no início perde um pouco seu encanto, bem, eu achei isso. Ash não é tão carismático quanto eu gostaria. Também há uma descoberta no meio dessa busca que não gostei, nada a ver, no meu pensar, sobre Ariella, a ex do Ash. Continuo apaixonada pelo Puck. As aventuras continuam, perigos e mais perigos. Tem a parte do sonho de Ash que achei lindo, ele foi meio panaca hehehe… mas eu gostei. Para quem gosta de ação com criatividade.
Quando chega hora dos julgamentos de Ash, a coisa fica feia para ele. Esse passa a tomar consciência do que é ser humano, sem poderes, conhecimento dos seus erros, culpas e mortalidade. Tudo isso cai sobre ele como uma sobrecarga. O fato dele não desistir, comprova o seu amor por Meghan.
O final é lindo, amei e suspirei.
Acabou que no final Ash conquistou meu coração, muito embora Puck… sentirei falta dos dois…
Bjoo e até a próxima!

sábado, 20 de fevereiro de 2016

A Rainha de Ferro

Livro: A Rainha de Ferro - Os Encantados de Ferro # 3
Autor: Julie Kagawa
Editora: Underworld
304 páginas
3,5 estrelas

Sinopse:
Em menos de vinte e quatro horas, eu irei completar dezessete anos. Embora, tecnicamente, eu não completarei dezessete. Eu estive no Nevernever por muito tempo. Quando você está em Faery, você não envelhece. Assim, enquanto um ano se passou no mundo real, eu sou apenas alguns dias mais velha que antes. Na vida real, eu mudei tanto que eu nem me reconheço.
Meu nome é Meghan Chase. Eu pensei que tudo havia acabado. Que o meu tempo com as fadas, as escolhas impossível eu tinha que fazer, os sacrifícios daqueles que eu amava, estava atrás de mim. Mas uma tempestade se aproxima, um exército de Encantados de Ferro vão arrastar-me de volta, chutando e gritando. Me arrastar para longe do príncipe banido quem jurou estar ao meu lado. Arraste-me para o núcleo do conflito tão poderoso, não tenho certeza que qualquer um pode sobreviver. Desta vez, não haverá como voltar atrás.


O próprio príncipe Ash admite para Meghan: “estar com você nunca é entediante”. Uma aventura atrás da outra, assim é a vida da princesa Summer. Embora tenham sido banidos do reino faery e proibidos de voltar, os acontecimentos subsequentes os mantém ligados a reino faery.
E Meghan tem horas que irrita com umas baboseiras, e mais esse joguinho de triângulo amoroso, “faz o favor”! Agora ela também tem que aprender a lutar e a usar os dois poderes que possui, sem que eles entrem em conflito e a prejudique, essa é a parte calma dessa história.
E como tudo sempre pode piorar… piora. Depois de banidos, o reino de ferro começa a crescer. Winter e Summer se unem em guerra para combater o rei Iron, mas estão perdendo os seus reinos, estão sendo destruídos. Então buscam princesa Meghan, príncipe Ash e Puck do exílio, pois eles acreditam que só Meghan pode acabar com Iron, porque ela é imune ao ferro.
E a guerra começa, e para variar, não é nada fácil. Os três estão em busca do rei Iron, sem ter certeza de qual caminho a percorrer. A visão de destruição é terrível, há um medo pairando no ar o tempo todo, e tem Puck, gente eu amo o Puck. Ele usa de ironia e sarcasmo da melhor qualidade o tempo todo. Agora entendo porque teve um momento de triângulo amoroso hehehehehe… no meio do caos, um Puck – perfeito.
A guerra foi terrível e acredito que quem sai mais ferido é o príncipe Ash. A Meghan é muito burra!!!!(desculpa meu descontrole).
O final do livro é o fim, fim da picada hehehehe termina triste e nos intimando a ir o próximo livro.
É uma ótima leitura, com muita aventura, um romance bem de leve, encantos e magias.
Até lá!
Bjoo


sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

A Filha do Ferro

Livro: A Filha do Ferro - Os Encantados de Ferro # 2
Autor: Julie Kagawa
Editora: Underworld
352 páginas
4 estrelas


Sinopse:
Meio princesa encantada de Verão, meio humana. Meghan nunca se encaixou em lugar nenhum. Abandonada pelo príncipe de Inverno que ela acreditava amá- la, agora é prisioneira da rainha encantada de Inverno. Com a guerra iminente entre Verão e Inverno, Meghan sabe que o verdadeiro perigo vem dos encantados de Ferro - encantados cujo organismo contém ferro e que só ela e seu príncipe ausente chegaram a ver. Mas ninguém acredita em Meghan. Pior, os poderes de encantada de Meghan foram bloqueados. Ela está presa em Faery e só pode contar com os próprios recursos. Confiar em alguém seria tolice. Confiar em um possível traidor poderia ser fatal. Mas, mesmo enquanto desenvolve uma resistência de ferro, Meghan não pode ignorar os sussurros da saudade em seu coração humano.




Julie Kagawa mantém a narrativa na primeira pessoa, por Meghan. A leitura é fácil e com ritmo. Quase que uma ação atrás da outra, com acontecimentos sendo revelados, sem mimimi. Só a Meghan que chora um bocado, quando terminar a série estará desidratada hehehe… O Príncipe Ash no início permanece tal qual ele é, príncipe do gelo. Puck reaparece e dá mais vida e graça a história. Amo o Puck, chego a torcer mais por ele do que para o príncipe.
As aventuras são muito boas, todas são completas “furadas” e eles têm que se ralar para sair das situações. A coisa piora quando pegam Ash (um spoilerzinho), aí você pensa que a “vaca foi pro brejo” (ditado do meu tempo hehehehe, não ia dizer que deu merda, porque fica feio). Tem uma cena de “exorcismo” com Meghan e Ash, que apesar de tenso, eu só ri, só ri… ficou ridículo hehehehe
E a lealdade de Ironhorse é comovente. Grimalkin, como todo gato, é estranho, aparece e desaparece, mas é um aliado inteligente.
Agora, final… o final… é tenso, e a única coisa que vem a mente é a seguinte pergunta: - E agora????
Vamos para o próximo para descobrir.
Bjoo


quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Só Depende de Mim

Livro: Só Depende de Mim - Série Bad Boys - Livro 02
Autor: M. Leighton
Editora Record
272 páginas
3 estrelas


Sinopse:

Depois de ter cedido aos encantos do impulsivo Cash Davenport, Olivia só pensa em aproveitar todos os instantes com ele. Porém, um segredo do passado da família Davenport pode colocar tudo a perder. Homens perigosos estão à espreita, esperando o momento certo para recuperar algo que o bad boy mantém guardado a sete chaves, a prova capaz de salvar a vida de seu pai e de colocar em risco todos a seu redor, principalmente Olivia. A jovem corre perigo, e Cash não medirá esforços para acabar de vez com essa ameaça.







Continua com a narração na primeira pessoa de Cash e Olívia. M. Leighton continua com a escrita simples, clara, objetiva e fluida.
Olívia começa história com mimimi, tem que ter paciência!! As dúvidas dela são cansativas, de fazer a gente revirar os olhos.
As consequências das ações do pai de Cash, no passado, estão sendo refletidas agora, a primeira a sentir foi Marissa, depois sobre Olívia, para desespero de Cash. Mas também recai sobre ele e Nash.
Esse livro é de ação, não de romance e melação. Trama com mafiosos, lutinha, adrenalina. Gosto da forma como ele é narrado, digo do vocabulário, grande parte não é frase feita, mas o usado de verdade, um palavreado comum, coloquial. Torna os personagens bem real.
Não sei dá para aceitar essa trama com mafiosos, mas vou deixar passar, porque quero ver como a autora vai dar jeito nessa bagunça que ela criou.
Até lá!
Bjoo

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Louca por Você

Livro: Louca por Você - Série Bad Boys - Livro 01
Autor: M. Leighton
Editora Record
304 páginas
3 estrelas


Sinopse:
Quando Olivia conhece o charmoso e irresponsável Cash, não imagina que resistir às suas investidas pode ser bem mais difícil do que ela pensa. Nash, seu irmão gêmeo, também desperta o interesse da jovem. Responsável e bem-sucedido, ele é o oposto do irmão. Porém, é comprometido com a prima de Olivia. Embora tenham personalidades completamente diferentes, guardam algo em comum - um incontrolável desejo por Olivia. Presa a esse triângulo amoroso, ela é incapaz de resistir aos beijos provocantes do selvagem Cash e às investidas do romântico Nash, muito menos desconfia que os dois irmãos guardam um grande segredo.





A escrita de M. Leighton é simples, clara e direta, mas também envolvente, com um toque de ironia e sarcasmo. E os personagens têm empatia.
Logo de entrada já me diverti com a confusão que Cash provocou de propósito. O que deu mais graça foi o fato de ser narrado na primeira pessoa, pelos protagonistas: Olívia, Nash e Cash.
Agora, gêmeos lindos? É de matar heim! Bom saber que Olívia não é a virgem ingênua e tímida, pra variar.
E quase sem querer Olívia se envolve com os “irmãos”. Olívia mora com sua prima Marissa que namora Nash, e ele arrumou um emprego para Olívia com seu irmão, o Cash. Mas a princípio ela se sente mais atraída por Nash, o mais comportado, digamos assim.


E a maior parte desse caos envolve dois homens. Dois homens que, por razões totalmente distintas, estão me despedaçando. Dois homens que desejo. Dois homens que não posso ter. Dois homens que não saem da minha cabeça.”
Essa parte me lembra quando Olívia já estava dormindo, quando recebe a visita de um dos irmãos em sua cama, e não consegue reconhecer qual é, o quarto está muito escuro, e quando amanhece ela já está sozinha. Só ri, e ela mesma pensou, 'tanto faz'. Bem, naquela hora também pensei (ops!).
Sabe aquele lance de segredo? É, pois é, aqui também aparece o tal do segredo, e quando Cash revela para Olívia, há uma reviravolta. Ainda não sei se gostei. Gosto dos irmãos.
Livro termina, mas a história não e fica claro que algo está para acontecer com Olívia.
É um livro bom de ler, não tem grande profundidade, nem sexo erótico, como vi em uns comentários, só não reparei se o comentário era de menina de 11 anos. A autora foi sutil e delicada nas cenas de sexo, que nem foram tantas. Talvez o próximo livro, pelo que deu a perceber, tenha uma trama mais elaborada, veremos.
Bjoo



Passagem para o Inverno

Livro: Passagem para o InvernoUm conto de Os Encantados de Ferro #1.5
Autor: Julie Kagawa
Editora: Underworld
54 páginas
3 estrelas



Sinopse:
Meghan Chase era uma garota comum... até descobrir que, na verdade, é uma princesa encantada. Depois de escapar das garras do letal encantado de Ferro, Meghan precisa agora cumprir sua promessa de voltar à igualmente perigosa Corte de Inverno com seu amor proibido, o Príncipe Ash. Mas, antes, Meghan tem um pedido: ela quer ir visitar Puck, seu melhor amigo e servo de seu pai, o Rei Oberon – que sofreu ferimentos graves quando a defendia dos Encantados de Ferro.

Mas o desvio de Meghan e Ash não passa despercebido. Eles chamam a atenção de um antigo e poderoso caçador – um inimigo que nem mesmo Ash pode conseguir derrotar...



Um conto sobre quando o príncipe Ash leva Meghan para Corte Winter, para cumprimento de um acordo entre eles, mas antes ele a leva para ver Puck, que foi seu protetor e amigo, que está se curando.

Durante o percurso eles são perseguidos e Meghan sofre muito por causa do frio. No meio dessa jornada o gato Grimalkin se junta a eles. O príncipe Ash é sempre cuidadoso e protetor, com relação a Meghan. Mas ele deixou bem claro que não poderia ir contra as ordens de sua Rainha, mesmo tendo sentimentos por ela. Príncipe Ash nesse conto entra em conflito consigo (e Ash cria mais empatia).
Depois de uma reviravolta sobre o perseguidor e Ash quase morrer ele chegam a Corte Winter.
Achei o conto no início meio cansativo, porque a Julie ficava explicando todos os acontecimentos anteriores, acho que ela deu mais atenção para quem não leu o primeiro livro ou para quem se esqueceu da história.
Um conto interessante, mas não faria falta.
É isso.
Bjoo

O Rei do Ferro

Livro: O Rei do Ferro - Os Encantados de Ferro # 1
Autor: Julie Kagawa
Editora: Underworld
352 páginas
3 estrelas

Sinopse:
Alguma coisa sempre pareceu meio fora do lugar na vida de Meghan, desde que o pai desapareceu diante de seus olhos quando ela tinha apenas seis anos. Meghan nunca se adaptou na escola... nem em casa.


Quando um desconhecido sombrio começa a observá-la de longe, e o amigo brincalhão se torna estranhamente superprotetor, Meghan sente que tudo que ela conhece está para mudar.

Mas ela nunca poderia ter imaginado a verdade - que ela é filha de um mítico rei das fadas e peça importante numa guerra mortal. Agora Meghan vai aprender até onde é capaz de ir para salvar alguém que ama, deter um mal misterioso que nenhuma criatura encantada ousa enfrentar... e encontrar o amor com um jovem príncipe que talvez prefira vê-la morta a deixá-la tocar seu coração de gelo.




Narrado na primeira pessoa, na visão de Meghan, uma adolescente que não se sente bem encaixada na sociedade, que demonstra ser boa de coração (que tem horas que chega a ser chata).
A história começa simples sem pretensão, mas ela vai levando o leitor para as próximas páginas, em uma leitura leve e rápida e colocando alguns acontecimentos que vão chamando atenção. Meghan passa a perceber coisas que não tinha notado antes. Coisas estranhas começam a acontecer, seu amigo Robbie também parece estar diferente. Na verdade os olhos dela estão sendo “abertos” e criaturas vão surgindo.
(Ela começa a ver coisas e aceita quase que tranquila? E já sai em uma aventura no meio de criaturas? Não tinha que ter um draminha? Mas tudo bem, vou embarcar nessa canoa, quero ver o que acontece.)
Com certeza é um livro de aventura com movimento e ritmo, em um mundo novo com criaturas bem diferentes. Meghan se arriscou estar ali porque está em busca de seu meio-irmão Ethan, que foi trocado por uma criatura em seu lugar. Mas essa tarefa não está sendo nada fácil.
Além de um mundo novo, criaturas perseguindo, quase morrendo, ainda descobre que é meio fey, porque é filha do Rei Oberon no reino faery, desse mundo que ela acaba de descobrir. Outra descoberta é que ela não poderá voltar para o seu mundo.
Um fato interessante que o Rei conta a Meghan, é sobre o esquecimento. Quando a gente vai lendo e chega nessa parte, nos lembramos e logo dizemos a nós mesmos: ahhhh é por isso! Mas esse rei não é de nada, não protege a filha e se mantém distante.
O reino faery é muito interessante, acho mesmo que é lindo e muito, muito vivo. Só lamentei, não sei se é bem um lamento, mas são muitas criaturas, muitos nomes, para guardar e imaginar tudo, requer uma leitura mais lenta, para ir formando as imagens e cenários. Mas é bom. Não podemos esquecer que humano ali é praticamente alimento. E se você der sua palavra, está preso em um contrato. Ninguém faz favor sem receber nada em troca (nada diferente da realidade).
As atitudes de Meghan são puramente de adolescente boba, pode ser boa de coração, mas é infantil. Fico pensando por que Julie Kagawa não colocou ela menos “adolescente”. Agora Puck, o seu “protetor” é ótimo, muito divertido. Ash é um príncipe sem graça (mas é lindão, está perdoado hehehe), o Gato, é “ácido”.
Vira e mexe os escritores colocam umas besteiradas em seus livros, pois é, Julie lançou mão desse “artifício”. Colocou a tecnologia como um mal assolando o reino de faery, ficou horrível! Hehehehehe…
Mas gostei como terminou dando abertura para o livro seguinte.
Não é um livro de palpitar ou emocionar demais. Mas dá para passar o tempo.
Outro que estou pensando se vou continuar a ler.
Até lá, bjoo