Páginas

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Menina de Vinte

Livro: Menina de Vinte
Autor: Sophie Kinsella
496 páginas
Editora Record
4 estrelas

Sinopse:
Lara Lington sempre teve uma imaginação fértil. Agora ela começa a se perguntar se está ficando maluca de vez. Meninas normais de vinte poucos anos não veem fantasmas, né? Pelo menos era o que ela pensava até o espírito da tia-avó Sadie, que foi uma jovem dançarina de Charleston com ideias avançadas sobre moda e amor, aparecer misteriosamente com um último pedido: Lara precisa localizar um colar que foi dela por mais de 75 anos. Só assim tia Sadie poderá descansar em paz. Além de encontrar a joia, Lara tem que lidar com probleminhas do dia a dia: a sócia foi curtir um romance em Goa, sua empresa está afundando e ela acabou de ser abandonada pelo homem “perfeito”. Nesta divertida história, Lara e Sadie são duas meninas de vinte bem diferentes que vão aprender a importância dos laços familiares e da amizade

Gosto sempre de avisar no início dos meus comentários em qual pessoa o livro é narrado, acho interessante. Acredito que um livro narrado na primeira pessoa pode haver um envolvimento maior com o leitor, eu disse que pode, não que seja lei. Em todo caso, esse é narrado na primeira pessoa, por Lara. E ela já demonstra o estado de espírito em que se encontra: em fim de namoro com a pessoa que ela ainda ama e não explicou o porquê do término, em início de um negócio que é maior furada e indo para uma cremação de um parente que nem conhece. Só falta cair e quebrar a perna! Kkkkkkkkkkkk… não ria, pois acontece pior, ou não? Aparece um fantasma, só pra ela… da tia-avó que seria cremada.
É uma leitura divertida e flui bem. Falando em divertido, tem uma cena dela no restaurante “carézimo” com um rapaz que ela quer recrutar (ela trabalha com algo parecido com uma agência de emprego) e ela não tem um tostão furado. Ela já se apavora só com o menu, mas quando ele começa a fazer o pedido… a gente se diverte. E como já sabemos que quando a coisa está ruim, sempre pode piorar… e, piora: a fantasma aparece no meio da entrevista.
Essa fantasma, é a Sadie, não é lá muito amiga e nem tem muita paciência, logo, quem tem que ter é a Lara. E Sadie inferniza a vida de Lara, suei de vergonha por Lara e soltei algumas risadas.
Kinsella vira a história e revela a linda e triste história de amor de Sadie, hora de suspiros e olhos úmidos…
“— Porque você pode querer, querer e querer. — Ela se vira e abraça os joelhos. Consigo ver os ossos de sua coluna através do vestido. — Mas se ele não a quiser também, é como se estivesse querendo que o céu fosse vermelho.” _ Sadie
Depois de segredos revelados, pedidos cumpridos, sorrisos e suspiros, o livro acaba… ahhhh que pena…
Mas… mas, vou deixar meu desabafo, achei que a Kinsella foi bem pobre no final da história da Lara, acho que ela merecia um carinho especial.
Bem, esse eu também recomendo.
Bjoo