Páginas

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Sete Dias Sem Fim

Livro: Sete Dias Sem Fim
Autor: Jonathan Tropper
Editora: Arqueiro
304 páginas
4 estrelas



Sinopse:
Judd Foxman pode reclamar de tudo na vida, menos de tédio. Em questão de dias, ele descobriu que a esposa o traía com seu chefe, viu seu casamento ruir e perdeu o emprego. Para completar, seu pai teve a brilhante ideia de morrer. Embora essa seja uma notícia triste, terrível mesmo é seu último desejo: que a família se reúna e cumpra sete dias de luto, seguindo os preceitos da religião judaica.
Então os quatro irmãos, que moram em diversos cantos do país, se juntam à mãe na casa onde cresceram para se submeter a essa cruel tortura. Para quem aprendeu a vida inteira a reprimir as emoções, um convívio tão longo pode ser enlouquecedor.
Com seu desfile de incidentes inusitados e tragicômicos, Sete dias sem fim é o livro mais bem-sucedido de Jonathan Tropper. Uma história hilária e emocionante sobre amor, casamento, divórcio, família e os laços que nos unem – quer gostemos ou não.



Já no início do livro podemos perceber que a situação de Judd, que narra a história, não está muito favorável. A morte do pai, a traição da esposa, que ele ainda ama, que lhe dá uma notícia para aumentar a confusão.
Judd expõe toda a carga emocional que a traição de sua esposa causou, faz com que a gente veja e sinta sua dor. São momentos tensos de dor. E por falar em expor, a família Foxman não tem medo algum de falar o que pensa, e quando o faz usa da mais pura sinceridade e franqueza, o que eleva a todo momento o nível de tensão entre eles. Agora imagine quatro irmãos e mais a mãe, já todos casados ou quase, com filhos e com suas experiências de vida, vivendo tudo junto novamente, por sete dias? Um último desejo do pai que acaba de falecer.
Todo mundo nessa família é meio Dr. House, então os diálogos são sempre “interessantes e inspiradores”. Agora imagine pessoas magoadas, estressadas tendo conversas sem filtro algum. Os acontecimentos que vão desencadeando na vida de Judd nos faz pensar que até que ele forte, mas quanto mais ele pode suportar?
 “É um convívio familiar muito intenso. Acho que vamos precisar de um ano longe uns dos outros quando isso acabar

Mas no meio de tanta coisa acontecendo, porque é uma história em movimento, eles vão desabafando e descobrindo coisas sobre eles e sobre os outros.





A vida puxou o tapete de Judd Foxman e ele está em queda livre. Nessa trajetória até o chão, ela vai tentando se equilibrar para cair de pé.
É um livro rico, que nos faz pensar e sentir. Recomendo.

Bjoo


P.S.: Tem o filme, mas como sempre, não chega aos pés do livro, inclusive mudaram até o sobrenome da família e também o nome de alguns personagens, sem contar que inventaram umas coisas e suprimiram os diálogos excelentes.

E mesmo assim vale a pena assistir.