Páginas

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Até Eu Te Encontrar

Livro: Até Eu Te Encontrar
Autor: Graciela Mayrink
Editora Novas Páginas
384 páginas
2 estrelas

Sinopse:
O quanto uma mudança de cidade pode afetar uma vida? Você acredita em alma gêmea? Como você se sentiria se não gostasse do grande amor da sua vida?
É o que Flávia vai descobrir ao deixar Lavras, onde mora com os tios desde o acidente que matou seus pais, quando era criança.
Aos dezoito anos, ela decide estudar Agronomia na Universidade Federal de Viçosa, trocando o sul de Minas pela Zona da Mata do mesmo Estado na esperança de uma "mudança de ares".
Em sua nova vida, ela conhece Sônia, amiga de infância de sua mãe e agora sua vizinha, que lhe conta a história de sua família materna, até então desconhecida para Flávia.
Embora o passado não seja sua maior preocupação, Flávia reluta em aceitar seu destino e ainda precisa superar uma paixão não correspondida pelo seu melhor amigo. Para se ver livre dessa rejeição, ela tenta atrair sua alma gêmea para Viçosa e descobre que o grande amor de sua vida é uma pessoa que ela não suporta.


Nem sei como comentar, mas é um livro infanto-juvenil. Ainda estou na dúvida se o livro é escrito na primeira ou terceira pessoa. Não vou mentir, a leitura flui bem. Só que a história parece ser muito ingênua.
Na faculdade onde Flávia não conhece ninguém, do nada aparece alguém para ajudar(a fugir de trote? Onde veterano ajuda calouro a fugir de trote?), faz amizade com uma facilidade incrível. Mas incrível mesmo é a facilidade de aceitar um estranho se oferecendo para ir na casa dela, onde mora sozinha, e pior, ele foi. Depois ela foi na república onde ele mora, para mais tarde irem a uma festa. Tudo isso antes de completar a primeira semana de facul, na cidade para onde se mudou, no caso, Viçosa. Ela é extremamente ingênua ou muito burra.
Todo mundo nessa história é um livro aberto, já conta a vida toda no primeiro cumprimento.
Tem uns lances de alma gêmeas e feitiço, muito infantil. O par romântico, a alma gêmea, para mim não tem nada a ver. Não dá para torcer por eles, mas sim pelo amigo.
Hehehehe é não sei comentar esse livro. Ele não é de todo ruim, eu que tenho a idade errada.
Bjoo