Páginas

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Half Wild

Livro: Half Wild - Half Bad#2
Autor: Sally Green
Editora Intrínseca
332 páginas
4 estrelas

Sinopse:
Na Inglaterra, onde duas facções rivais de bruxos dividem espaço com os humanos, Nathan é considerado uma abominação. Além de ser um mestiço — filho de uma bruxa da Luz com um bruxo das Sombras —, seu pai, Marcus, é o bruxo mais cruel e poderoso que já existiu. Nesse mundo dividido entre mocinhos e vilões, não ter um lado é pecado. E Nathan não pode confiar em ninguém. Em Half Wild, após descobrir seu dom mágico, mesmo sem ainda conseguir controlá-lo, Nathan se une aos rebeldes da Luz e das Sombras de toda a Europa para derrubar Soul, líder tirânico do Conselho, e os caçadores, cujo domínio se espalhou para além da Inglaterra. O Conselho de bruxos da Luz continua em sua cola e não vai parar até ele ser capturado e obrigado a matar o próprio pai, cumprindo a profecia. Nathan vai precisar encontrar um modo de conviver com seu lado selvagem, descobrir quem são seus verdadeiros aliados e — principalmente — quem é seu verdadeiro amor.


Esse é o segundo livro, a continuação da história narrada por Nathan, que é meio-código, ou seja, filho de uma bruxa da Luz com um bruxo das Sombras.
O livro começa com Nathan esperando Gabriel, enquanto isso ele vai tentando entender a transformação pela qual está passando, por causa do dom recebido. E ele sente muito medo. Nesse momento ele trabalha sua mente para não se perder e fazer coisas que ele não deseja e tenta pensar em coisas boas, positivas (é uma besteira sem, mas tudo bem!).
Além do desafio de controlar seu dom, ele tem que ajudar Gabriel a reaver o dele, resgatar Annalise, fugir dos caçadores e lutar com a Aliança.
Mas vou ser sincera, aliás, sempre sou, a parte deles para resgatar a Annalise é chata, até agora não entendi porque tinha que resgatar essa menina. É certo que o Nathan gosta dela, mas sinceramente, não vale o esforço. Mas deixa pra lá, o importante mesmo é a guerra que está se formando e eles têm que se fortalecer e preparar a Aliança, o que não é tarefa fácil.
Assim as lutas começam e com elas as perdas de pessoas amadas. E a tristeza, medo e raiva caminham juntos. E a Aliança é um grupo filha da piiiiiiiiii, pois praticamente ninguém é amigo, “tá loko meu”, que raiva! E aquela Annalise… não vou chamá-la de vadia, porque não tem nada a ver falar assim em um comentário de um livro, então vou me controlar.
Você não vai acreditar o que Nathan tem que fazer com o pai dele! Meu queixo caiu, meus olhos se arregalaram e prendi a respiração e pensei: - ele vai fazer? Jura? Ele fez??? Ohhhhh!!! Hehehehe é tenso. Aliás, toda luta é tensa.
Mas ainda não terminou, agora é amargar e esperar pelo próximo livro e esperar que a vadia tenha morte sofrida, ops, quis falar Annalise.
É isso.
Bjoo


Obs.: Gente que ódio daquela menina! Nunca gostei dela, que vá arder no inferno, e que seja o Nathan que a envie!!! (bestão!)
(Para Janise, o livro acabou!)