Páginas

sábado, 7 de maio de 2016

Dias das Mães



Deixa só este ano, só peço este ano
Só este dia, um dia só
Não quero ser mãe
Hoje quero ser filha
Uma filha sem mãe
Quero chorar todos os choros
Rasgar o peito no grito calado por anos
Anos fingindo ser forte
Quero sentar no chão feito criança birrenta
E gritar todos gritos
Arranhar meus braços
Demonstrando minha dor
Meu desespero
Meu abandono
Minha falta de chão
Solidão
Quero gritar todos os porras e putas que pariu
Que por ser muito educada tive que engolir
Quero socar o chão até não aguentar mais
Bater no peito, chorar até soluçar
Me encolher no canto
Chorar baixinho
Sentir pena de mim
Sozinha
Ficar em pé e girar sobre o próprio corpo
Olhar para cima e gritar porquê? Porquê?
Até perder a voz
Quebrar todas as louças
Me jogar na cama
Chorar até adormecer na esperança de não amanhecer
Não quero ser mãe
Quero ser filha
E xingar o filho da puta que me tirou ela
Quero ser desbocada
Por para fora
Porque não melhora nem piora
Porque estou cansada
Acabada
Não sobra mais nada
Não quero ser mãe
Quero ser filha
Só este ano
Só este dia