Páginas

domingo, 1 de maio de 2016

Meu Vício

Livro: Meu Vício
Autor: Kell Teixeira
Editora Bezz
387 páginas
5 estrelas

Sinopse:
Elena Tyner é uma garota comum de dezenove anos que cursa psicologia. Devido a uma criação tradicional, assim como a sociedade em sua maioria, ela possui preceitos e preconceitos contra usuários de drogas, passando até ter repúdio pelos mesmos. Mas tudo muda quando ela faz uma entrevista com um usuário, se envolve e passa a ver o outro lado da história. 
Nesse drama é relatado de forma clara e espontânea a amarga experiência que é conviver, amar, e presenciar uma pessoa entregar sua vida para as drogas... Um caminho obscuro e muitas vezes sem volta... 
Falar sobre dependência química é muito forte, muito atual e de suma importância. Mostrar todo sofrimento do dependente e de todos ao redor de forma tão realista e interessante, faz com que a gente vivencie o sofrimento junto com Maycon e Elena. E sinta o amor surgindo no meio das trevas, da dúvida. Um amor puro e sincero, porém não aceito.


A escrita de Kell Teixeira é clara, objetiva e flui muito bem. Gostei muito.
O livro começa com a narração de Elena, tentando fazer um trabalho do seu curso de psicologia. Uma entrevista com um viciado, e por esse motivo ela conhece Maycon. E lógico, claro e óbvio que ela se envolve com ele. Mesmo sabendo que não deveria, mesmo desobedecendo dos conselhos dos pais, nem mesmo o próprio Maycon avisando, mas resolve prosseguir. Depois quando uma pessoa desse tipo se lasca e digo que nem tenho pena, dizem que sou má.
Eles são novos, ela tem 19 e ele 21 anos, estão juntos a 2 meses mais o amor já é para vida toda. Não tenho paciência para isso, foi o que estava pensando. Só que parei e me lembrei de um casalzinho que conheci e era assim, um “amor para sempre”. Hoje esse “amor para sempre” acabou e eles se separaram, mas eu tenho que dar meu braço a torcer, ele a amou de verdade e duvido que ela encontre alguém a ame como ele a amou (de fazer inveja, coisa de romance). Por isso tenho que rever esse meu ponto de vista.
Mas continuando… Kell Teixeira é bem criativa, ela dá o nó, aperta nosso coração, e ficamos esperando ela desatar o nó. Há uma tensão que nos mantém presos a leitura, a espera da solução, enquanto percebemos que as páginas estão chegando no final e, nada. Só que chegando perto do final, a autora, enfia a mão em nosso coração e vai apertando de devagarinho, sem dó. E ela só abre a mão, bem no finalzinho mesmo. Muito má essa Kell Teixeira!! Hehehehe
Amei e amei. Fui surpreendida como ela trabalhou esse tema tão delicado. Com esse livro vamos de raiva ao amor. Recomendo.
Bjoo