Páginas

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Perfeita Pra Mim

Livro: Perfeita Pra Mim
Autor: Halice FRS
258 páginas
3 estrelas

Sinopse:
Bonito, profissional estabelecido, instrutor de violão nas horas vagas, um dos destaques de seu grupo. Aos 25 anos, Caio Ressali conseguia quantas garotas ele quisesse ter. Invariavelmente as abatia ao conquistá-las nas baladas ou na praia, sem nunca se apaixonar. Por mais que tentasse, jamais aconteceria, pois seu coração abrigava um amor inabalável; nascido há dez anos.
Ao conhecer Norah Mendes, ainda na adolescência, Caio a considerou dona de todas as qualidades que admirava no sexo oposto e sua impressão não mudou com o passar do tempo. Por uma graça do destino, Norah contava com 17 anos a mais e via nele somente o sobrinho emprestado, o amigo dos filhos. No entanto, Caio não perdeu a esperança de conquistá-la e bastou perceber que Norah tinha deixado o luto para mostrar a ela que não era um menino. E que sempre a considerou perfeita.




No primeiro livro Proibido Pra Mim, temos a visão de Norah, agora é a vez de Caio. A história é contada na terceira pessoa, o que eu acho uma pena.
A história começa bem do início, quando Caio conheceu seu melhor amigo e mãe dele. E foi quando começou a fixação dele. Para mim foi fixação, um menino de 14 anos se encantar de tal forma pela mãe do amigo. Helloooo! Tem coisa errada aí! (ou não, sei lá o que se passa na cabeça de homem, isso quando a gente acha um homem que tenha cabeça hehehehhe ops!).
Descobri qual a palavra que autora mais gosta: Arrelia. Fui lá no “pai dos inteligentes”, porque burro não se interessa em aprender, e descobri que arrelia quer dizer contrariedade, despeito, zanga. Aprende aí, para quando for ler os livros dela. Hehehe
Em alguns momentos dá dó de ver o desespero dele, por ela não enxergá-lo. Caio ama Norah de verdade, isso é fato. Um amor forte e intenso, mas também assustador. Sr. Grey com todos os seus Tons de Cinza não me assusta tanto quanto Caio. Sério.
Esse livro de certo modo me decepcionou, eu esperava mais coisa do Caio, como ele contar como foi se apaixonar por Norah. Essa história de um adolescente se apaixonar a primeira vista por uma coroa, é forte demais pra mim. Eu esperava um processo de despertar. O fato de ser contado na terceira pessoa, não permitiu uma aproximação do personagem. Ficou uma história contada por outra pessoa, não foi ele contando sua história, não sei se me fiz entender.
O livro ficou muito repetitivo, bem CRTL C + CRTL V. Cansou um pouco. O acréscimo que teve e que achei até que válido foi o fato do avô saber do amor do neto, muito embora ele achasse que fosse só uma paixonite. Teve outro acréscimo também que foi a cerimônia de casamento, que nem precisaria.
Ahh outra coisa que iria comentar no primeiro, mas optei por deixar passar, só que agora não deixarei: achei muito, muito bizarro o nome do filho do Caio. Nem vou comentar o fato de Norah ter engravidado.
Dá para optar em ler esse ou outro, é desnecessário ler os dois. Eu acho.
Bem, é isso.
Bjoo