Páginas

sábado, 23 de julho de 2016

Dizem por aí…


Livro: Dizem por aí… -  Rumour Has It
Autor: Jill Mansell
432 páginas
3,5 estrelas


Sinopse:
O namorado de Tilly Cole acaba de se mudar do flat deles com metade de suas coisas. Sem nada para prendê-la, Tilly decide rapidamente morar mais perto de sua melhor amiga, Erin, em um vilarejo minúsculo em Cotswolds.
Lá, Tilly é contratada no mesmo momento como faz-tudo em uma empresa de design de interiores. Para sua surpresa, a cidade pequena transborda escândalo, sexo, fofoqueiros e boatos, focados basicamente em Jack Lucas, o homem lindo de muita classe e melhor amigo de seu chefe.
Todos falam para Tilly ignorar o encanto por Jack, que ela será apenas outra em sua cama se ela se deixar levar; mas Tilly, que trabalha ao lado de Jack, enxerga uma parte carinhosa e cuidadosa dele que não é revelada à cidade. É impossível que ele seja a mesma pessoa de quem todos falam. Ou é possível? Tilly deve separar os fatos da ficção e seguir seu instinto neste divertido romance moderno.




Narrado na terceira pessoa, a leitura flui muito bem, a escrita de Jill Mansell é “divertida”.
A história começa com Tilly que é abandonada pelo namorado, mas, no fundo, ela agradeceu. Como não tinha condições de pagar o aluguel da casa onde morava com o namorado a coisa apertou. Surgiu a oportunidade de emprego em um vilarejo, ela não pensou duas vezes e se mudou de mala e cuia. Lá ela conheceu Jack, um escândalo de homem lindo e gostoso, mas um perigo. E todos avisando que ele é do tipo que usa e joga fora. Mas seu coração já começou a perder o compasso na primeira olhada.
Mas a autora não satisfeita somente com a história do casal, deu mais perspectivas também a outros personagens, que deixaram de ser secundários. Assim ficamos com um monte de história e não é possível se prender a ninguém.
Temos a História de Max, com quem Tilly foi trabalhar, que depois de anos de casado se separou porque é gay. Temos a história de Lou, filha de Max, que enfrenta o preconceito na escola porque seu pai é gay. Temos a história de Kaye, a mãe de Lou, ex de Max, que passa por uma injustiça no trabalho. Temos a História de Erin, amiga de Tilly que namora, Fergus, que é ex marido da Stella que apronta e depois acontece algo triste com ela.
Esse livro parece uma mulher fofoqueira que não para de falar e conta um monte de história ao mesmo tempo. A gente não se perde e a escrita é muito boa. Mas é muita história para um livro só. Assim todas as histórias são importantes, mas perdem seu encanto. Não há um foco.
O final, bem, achei muito besta, era o esperado, mas a autora se atrapalhou, pelo menos parece. Acho que ela levantou em uma manhã e disse: - vou acabar logo de escrever esse livro, cansei. E foi assim, um final mais sem graça(eu achei).
E foi assim que aconteceu.
Bjoo.