Páginas

terça-feira, 12 de julho de 2016

O Pedido


Livro: O Pedido -  A Proposta # 2
Autor: Katie Ashley
297 páginas
2 estrelas


Sinopse:
Durante as semanas seguintes à briga com Aidan, Emma fez o que pôde para seguir em frente. Ignorando as inúmeras mensagens de texto e voz e as flores, ela não tinha certeza se queria voltar para ele. Mas Aidan não desistiria fácil – principalmente não até que Emma o deixasse revelar o segredo de seu passado que o levou a ter fobia de assumir compromissos. Mas o destino intervém quando Emma entra em trabalho de parto prematuro e precisa repousar por duas semanas. Aidan aproveita para fazer uma proposta surpreendente. Para provar seu amor e comprometimento com ela e com seu futuro filho, ele pede uma licença do emprego para cuidar dela em tempo integral. Jurando proteger seu coração, Emma concorda com relutância. Enquanto fica comovida com a atenção e os cuidados de Aidan, Emma fica desconsertada com a aproximação do médico da emergência, Alpesh “Pesh” Nadeen. Pesh é tudo que Emma poderia querer – bem-sucedido, equilibrado e pronto para se casar, para ser marido e pai. Pesh só quer conquistar o coração de Emma, mas ela não tem certeza se será capaz de entregá-lo. O coração dela pode ainda pertencer ao mesmo homem que o partiu – aquele que está tão desesperado para tentar tê-la de volta.



Este livro começa exatamente onde o anterior terminou, ou seja, na porcaria que Aidan fez. Só que no meio de uma conversa com o pai dele, a gente descobre que Aidan tem um segredo que envolve a ex (hummm ex, aquela coisa que parte como demo). E Aidan faz tudo para reparar a burrada dele, mas não está fácil.
O pai de Aidan adoece e isso desencadeia outras situações que coloca em risco o bebe que Emma está esperando e também aproxima um médico que está de olho em Emma. Ela tem uns momentos de dúvidas em que ela se transforma em uma verdadeira vadia, vamos culpar os hormônios da gravidez para quebrar o galho dela.
Agora, esse tal de Pesh que é o médico que está interessado na Emma, saiu túnel do tempo, de um livro de época. O diálogo dele é realmente de época, não se encaixa de jeito nenhum no contexto, Pesh é muito brega, mesmo assim por causa dele Emma toma juízo e as coisas entram no eixo (aleluia!).
Quando falta umas 50, 60 páginas para terminar, o livro fica chato demais, muita coisa desnecessária. Aí o livro perdeu mais ponto comigo.
E foi isso, poderia ter sido melhor.
Bjoo