Páginas

segunda-feira, 25 de julho de 2016

RoomHate


Livro: RoomHate
Autor: Penelope Ward
280 páginas
3,5 estrelas


Sinopse:
Dividir uma casa de verão com um companheiro de quarto quente como o inferno deveria ser um sonho se tornando realidade, certo? Errado! Não quando o meu companheiro é Justin. A única pessoa que eu havia amado, e que agora me odeia.
Quando minha avó morreu, recebi como herança a metade de sua casa localizada na ilha Aquidneck; havia apenas um pequeno problema: a outra metade iria para o garoto que ela ajudou a criar. O mesmo garoto que virou o adolescente cujo coração eu quebrei anos atrás.
O mesmo adolescente que agora é um homem com um corpo rígido e uma personalidade rigorosa para corresponder. Eu não o via há anos, e agora estamos morando juntos porque nem um de nós está disposto a desistir da casa. A pior parte? Ele não veio sozinho.
Logo perceberia que há uma linha tênue entre amor e ódio. Por baixo desse sorriso presunçoso eu podia ver que o garoto que uma vez conheci, ainda está lá. Então, essa é a nossa conexão.
O problema? É que eu não posso ter Justin, porém, nunca lhe desejei tanto quanto agora.



Justin e Amélia receberam de meia uma casa de herança, da avó de Amélia. Justin não é parente, mas a avó de Amélia o amava como filho.
Agora os dois têm uma casa e estão compartilhando no verão. Amélia está saindo de um relacionamento, então foi para lá sozinha, mas Justin levou sua namorada, a Jade. A duas se dão bem, inclusive arrumam um emprego juntas. E secretamente Amélia se sente atraída por Justin, que é lindo e gostoso. Na verdade os dois nunca esqueceram o passado.
A história se alterna entre passado, que Justin e Amélia eram melhores amigos e o presente, onde ele não suporta ela (hummm). Ela quando tinha 15 anos fugiu e o abandonou. Pouco tempo depois ela se arrependeu e tentou falar com ele, mas já era tarde demais.
No presente eles conversam sobre o que aconteceu no passado, e agora eles estão tentando perdoar um ao outro e serem amigos de novo, mesmo sabendo que não será fácil (hummm amigos! Me engana). Mas ficaram amigos, mesmo tendo a tal da atração.
Só que no meio do livro Penelope Ward deveria estar bêbada e estraga a vida da Amélia com uma coisa que muda tudo. Com certeza beber e escrever não dá certo. Pelamor!!!
Amélia tem na mão a faca e o queijo e fica de mimimi, misericórdia! Que menina burra! Muito insegura para meu gosto. Até ela decide partir o queijo, mas nada de comer, até a hora que Justin sai em uma turnê de 5 meses (ele é músico). Aí acontece algumas coisas, umas boas, outras nem tanto. Mas serve para definir o relacionamento deles.
O livro é bom, boa escrita, mas tem umas coisas aí que não gostei, sendo que isso é coisa bem particular minha, não vou comentar porque seria maior spoiler. Outra coisa que lamentei foi o Justin não narrar, a não ser o epílogo, mas aí já era tarde demais. Justin tem uma personalidade linda e é apaixonado, já Amélia é fraca e insegura.
Mesmo assim acho que valeu a pena, gostei.
E foi assim.

Bjoo.