Páginas

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Denying the Bad Boy


Livro: Denying the Bad Boy 
- Tattooed and Pierced #2
Autor: Jenika Snow
159 páginas
2 estrelas


Sinopse:
Alex Sheppard gosta de algumas coisas: sexo, festas, e uma briga de vez em quando para desestressar. Mas seu modo selvagem o afeta quando ele fica na reserva no futebol por causa de suas notas abaixo da média. Quando Mary Trellis se oferece para dar aulas particulares em troca de acompanhá-la ao casamento de sua irmã, Alex vê isso como se fosse um passeio no parque. Ela é inteligente, quente, e tudo que quer em troca é um fim de semana em sua companhia. Claro, nada é tão fácil como parece.
Quando Mary fez a proposta ao bad boy tatuado e cheio de piercing, Alex, ela não percebeu no que estava se metendo. Ele tem por hábito ser vulgar e obsceno, mas ela ainda o quer. Não é até que eles estejam sozinhos que Mary percebe que, negar a Alex o que ele quer, é mais fácil dizer do que fazer.




Tá bom, eu sei que é clichê, mas o quê que tem? Estou aqui no meu quarto sozinha, ninguém nem sabe que estou lendo romancinho besta hehehehe
Que nem eu falei, clichê: menina certinha e bad boy. Então vamos lá.
Mary já havia visto Alex, o quarterback, pelo campus e já tinha se interessado por ele, mas tinha plena consciência de que aquele bad boy não era para ela(afff), inclusive ele nunca havia reparado nela. Até o dia em que ele chega em casa e a vê dando aula particular para um amigo de quarto. Aí foi pá-pum! Não conseguiu tirar a morena de olhos azuis da cabeça.
Por uma tremenda coincidência(afff) Alex foi avisado que ficaria no banco de reserva por causa de sua nota ter ficado abaixo da média. E adivinha a quem ele recorreu para ajudá-lo? Pois é, isso mesmo, a Mary. Só que ela faz uma proposta a ele: ela dá as aulas ele vai de acompanhante bad boy apaixonado no casamento de sua irmã. Ela quer chocar sua família esnobe. E não é que ele aceita!?
Mary tem umas frescuras porque foi adotada por uma família rica e não quer aceitar ajuda financeira deles, quer trabalhar e se sustentar. Fala sério! Mas tudo bem.
Na mesma noite em que eles começam com as aulas particulares, em surpresa eles se encontram em um clube de baixa “catiguria” a noite. Ele fica surpreso(mas o leitor não). Ela como já tinha “tomado umas”, dá em cima dele. Aí a coisa não presta porque ele quer provar para ela que não vale nada(ahn? Cumã?). Ficou toda magoadia, mas a besta já sabia, caraca!
E para surpresa dele(só ele para se surpreender tanto), ela continuou com as aulas. Isso porque ela precisava dele para o casamento da irmã.
Tá, para tudo. Jenika Snow desmiolou, o livro até que estava indo mais ou menos, até que despencou para o menos. Ela fez Mary abandonar seu lado direitinho e transar vulgarmente, aliás, vulgar é a forma como a história é contada, sem romance e encanto e muitas vezes o linguajar é tosco. E transformou o bad boy em um bobo e bota bobo nisso. Tem momento que dá vontade de enfiar o dedo na garganta, urrrrrgggg! Para piorar a chatice aparece um ex de dois anos atrás, ahhh pelamor! Nada a ver.
Ahh! e quando chega o casamento... O leitor fica esperando o tal casamento pra ver e… decepcionante.
Sério, que livro bobo. A autora devia estar bebendo enquanto escrevia.
E foi assim que agradeci que terminou.
Bjoo.