Páginas

sábado, 20 de agosto de 2016

Pode Beijar a Noiva


Livro: Pode Beijar a Noiva
Autor: Meg Cabot
238 páginas
4 estrelas


Sinopse:
Apenas um homem poderia propor a ela casamento…
Emma Van Court, dama de uma família londrina, jamais esperava ficar viúva e sem vintém na aldeia escocesa de Faires. E quando uma fortuna lhe foi prometida, se ela tornasse a se casar, a bela professora deparou-se com um mosaico de homens solteiros lutando por suas atenções, desde o pastor local até um detestável barão.
Um doce beijo selaria aquele amor... James Marbury, conde de Denham, era moderno e sofisticado... e totalmente desacostumado às estradas lamacentas e aos telhados de palha de Faires, para onde viera depois de saber do falecimento de seu primo Stuart. E sem demora ficou exasperado ao descobrir que seu amor louco e intenso pela viúva Emma continuava tão forte quanto antes.
Diante de tantos homens solteiros que a cortejavam, James encontrou uma única solução: oferecer-se como marido temporário para Emma... mesmo que secretamente ele desejasse fazer seus votos durarem para sempre




De fato a narração na terceira pessoa não é minha preferida, mas a forma que Meg Cabot escreve esse livro, a gente até esquece. É interessante como ela vai soltando os fatos gradativamente. Ela insinua, depois traz uma suspeita e depois confirma (se sim ou não). Com isso ela nos prende na leitura.
Ela fez assim com os sentimentos de James e Emma, ela foi soltando aos poucos e nos envolvendo. James sempre gostou de Emma, mas Emma fugiu para se casar com o primo de James. Só que 6 meses depois ele morreu, mas James só soube 6 meses depois que ele morreu. Com isso James vai atrás de Emma para trazê-la de volta, mas não é tão fácil, porque Emma é boa demais e ajuda a comunidade onde mora e tem a vergonha dos familiares, porque ela saiu fugida. Mas ainda tem o problema de uma herança, que ela só receberá se casar de novo. O que gerou uma fila de pretendentes e até duelo.
E essa fila ficou perigosa, então James propôs casamento a ela, casamento temporário, ela receberia a herança e depois ele daria o divórcio. Ele fez isso na esperança dela se apaixonar por ele, porque sabia que o divórcio demoraria anos. Ela pensa que ele propôs só para reparar o erro dele no passado. E assim eles se casam. Um casamento de fachada, só para conseguir a herança, segundo ela pensava.
Devido a uma série de acontecimentos, os dois acabaram tendo que dormir na mesma cama, e em um beijo de boa noite, eles acabam com uma noite BOA mesmo! Ela então… ficou admirada da “noite ser tão boa”.
Agora eles voltam para Londres e quando ela fala no plano original, que era o divórcio, ele levanta a hipótese dela poder estar grávida, depois do “boa noite”. Ele não quer de jeito nenhum o divórcio. Puxa, ele é apaixonado por ela! Como a bestona não vê? (vem cá James que a tia te consola!!).
Aos poucos, bem aos poucos Emma vai descobrindo o seu amor e o amor de James, verdades sobre a morte do marido, seu casamento, há também verdades sobre personagens secundários, ou seja, é um desenrolar de fatos e acontecimentos.
O livro é de leitura rápida, com uma história gostosa de um conde apaixonado.
E foi assim que aconteceu.
Bjoo