Páginas

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Procura-se Um Marido


Livro: Procura-se Um Marido
Autor: Carina Rissi
476 páginas
4,5 estrelas


Sinopse:
Alicia sabe curtir a vida. Já viajou o mundo, é inconsequente, adora uma balada e é louca pelo avô, um rico empresário, dono de um patrimônio incalculável e sua única família. Após a morte do avô, ela vê sua vida ruir com a abertura do testamento. Vô Narciso a excluiu da herança, alegando que a neta não tem maturidade suficiente para assumir seu império a não ser, é claro, que esteja devidamente casada.
Alicia se recusa a casar, está muito bem solteira e assim pretende permanecer. Então, decide burlar o testamento com um plano maluco e audacioso, colocando um anúncio no jornal em busca de um marido de aluguel.
Diversos candidatos respondem ao anúncio, mas apenas um deles será capaz de fazer o coração de Alicia bater mais rápido, transformando sua vida de maneiras que ela jamais imaginou.
Cheio de humor, aventura, paixão e emoções intensas, Procura-se um marido vai fisgar você até a última linha.




Eu não sei de onde Carina Rissi tira esses personagens, pois Alícia me lembra muito Sofia da trilogia Perdida, as duas são desmioladas, mas Alícia ganha.
Alícia é imatura, mimada, baladeira e inconsequente. Hoje com 24 anos se vê em uma enrascada. Excluída do testamento de seu avô se não casar e ficar casada por pelo menos 1 ano. Mas não é só isso, ela se vê obrigada a trabalhar em uma das empresas, que deveria herdar, e começando por baixo, para sua revolta. Hostilizada no trabalho, porque ela não é lá muito simpática, ela conhece Max, que é lindo e que de alguma forma a deixa inquieta.
E assim Alícia bola um plano para burlar o testamento, o qual ela não pode contestar, senão ela perde tudo de vez: ela quer um marido de mentira, só para herdar a fortuna e assim ela coloca um anúncio no jornal. E os candidatos só nos fazem rir.
Para a nossa não surpresa, mas surpresa da Alícia, adivinha quem se candidata a vaga de marido de mentirinha? Pois é, o lindo Max(ai ai...). E ele tem um motivo, fajuto, mas um motivo (depois a gente descobre a verdade).
E eles casam e fingem serem um casal de verdade, mas não está convencendo muito bem as pessoas, na verdade. O tutor legal de Alícia avisa se eles estiverem mentindo, ela perde a herança e Max é despedido, sendo que a família dele precisa do salário dele. Alícia se apavora com essa situação, porque a essa altura ela já está envolvida com Max.
Nesse meio tempo o relacionamento deles vai mudando. Max é um amorzinho e Alícia começa a pensar diferente sobre ele. A forma com Carina Rissi escreve, nos envolve com os personagens, ela vai tornando eles cativantes, inclusive a gente começa a esquecer que Alícia não vale grande coisa.
E chega aquele dia da grande descoberta, mas que a gente já sabia, Alícia descobre que está apaixonada por Max (boba, até eu estou apaixonada, aliás, faz tempo!). Só que, sabe-se lá o porquê, ele resiste (na verdade ele é fiel aos seus acordos). Aí é hora dela investir.
E não foi só a grande “descoberta”, agora até dentro da empresa ela já estava começando a ser vista diferente.
E quanto as investidas dela, é tudo um fracasso hehehehe…
Ahhh e quando eles se acertam? Ah isso é spoiler? Acho que não, né? Mas é tão lindinho, de bater pestanas. Aí fica tudo certinho, belezinha, só flores, coraçõezinhos. Bem, era para ficar assim, mas aí sai uma invejosa do inferno, que estava de olho no Max, uma mal amada e estraga tudo. Sem contar o tutor dela que tenta de todo jeito desfazer o casamento dela. Hummm...
E o final? Humm a coisa se complica, se enrosca. É tenso.
Agora, o final, final mesmo tudo é desvendado e revelado. Gostei muito de como Carina colocou as coisas, complicando e descomplicando.
Só queria fazer um comentário a parte quanto a Alícia: - no começo a Alícia que a autora apresentou para o leitor é totalmente diferente da que ela desenvolveu na história. Ela apresentou uma menina vulgar, presa por transar em via pública (em Amsterdã)e desenvolveu uma menina que não sabia nem conquistar um cara. Mas fora isso, amei o livro e recomendo.
E foi assim.
Bjoo