Páginas

domingo, 4 de setembro de 2016

A Promessa da Rosa


Livro: A Promessa da Rosa - Flores da Temporada # 1
Autor: Babi A. Sette
432 páginas
4 estrelas


Sinopse:
Século XIX: Status, vestidos pomposos, carruagens, bailes… Kathelyn Stanwell, a irresistível filha de um conde, seria a debutante perfeita, exceto pelo fato de que ela detesta a nobreza; é corajosa, idealista e geniosa. Nutre o sonho de ser livre para escolher o próprio destino, dentre eles inclui o de não casar-se cedo. No entanto, em um baile de máscaras, um homem intrigante entra em cena… Arthur Harold é bonito, rico e obstinado.
Supondo, por sua aparência, que ele não pertence ao seu mundo, à impulsiva Kathelyn o convida a entrar no jardim – passeio proibido para jovens damas. Nunca mais se veriam, ela estava segura disso. Entretanto, ele é: o nono duque de Belmont, alguém bem diferente do homem que idealizava, só que, de um instante a outro, o que parecia a aventura de uma noite, se transforma em uma paixão sem limites.
Porém, a traição causada pela inveja e uma sucessão de mal-entendidos dão origem ao ciúme e muitas reviravoltas. Kathelyn será desafiada, não mais pelas regras sociais ou pelo direito de trilhar o próprio caminho, e sim, pela única coisa capaz de vencer até mesmo a sua força de vontade e enorme teimosia: o seu coração.





Vou confessar, estava lendo a série Notorius da Nicole Jordan, mas a escrita dela achei sem graça, gostei das histórias, mas a escrita achei fraca. Por isso comecei essa série, assim alivio a cabeça (pensei, maior cilada humm).
Pois bem, escrito na terceira pessoa (uma pena), Babi A. Sette escreve sobre Kathelyn, uma menina, com certeza, a frente do seu tempo, que não gosta dos rigores da época e tão pouco liga para as classes nobres, apesar dela ser filha de um conde. E aproveito para fazer outra confissão, essa provoca arrepio em muitas mulheres, não sou nada feminista e por isso esse tipo de personagem não me cativa. Mas isso é problema meu, então… vamos continuar:
Kathelyn está saindo de um castigo para ir a um baile máscaras, mas, na verdade, ela quer ver uma coleção de peças gregas, a qual ela tem estudado anos, escondida. Lá no baile ela consegue entrar na biblioteca escondida e ver a coleção, só que Arthur, o duque Belmont, que estava de olho nela, a segue e eles conversam, mas não se apresentam. Ele fica intrigado com ela e nenhum faz ideia de quem o outro seja, apesar de tiraram as máscaras. Eles voltam para salão e quando estão dançando, ela faz com ele a siga para o jardim, onde ela nunca deveria ter ido, só que o negócio dela é esse, “causar”. Depois de um beijo e sair correndo, ela deixa ele a “ver navios”.
Ele passa uns dias aborrecido com ela e ela ficou impressionada com o beijo. O encontro deles depois foi interessante. E já adianto que para uma donzela daquela época ela bem liberal ou inocente demaaaaaaais. Seja qual for o caso, o duque já foi fisgado. E ele inclusive fez um contrato de casamento com o conde, pai de Kathelyn, mas não quer que ela saiba, pois quer conquistá-la.
Gosto muito como a Babi descreve a relação deles, inclusive certa ironia nas entrelinhas. O interesse dele por ela é cativante. O leitor fica sempre na expectativa do que vai acontecer e a autora é delicada na escrita, da mesma forma que nos envolve na história e o fato de estar na terceira pessoa nem importa mais.
Só vou fazer um breve comentário, dentro do meu comentário: o duque é liiiindo, e rrrrrrico, tem uma casinha modesta(uma delas) com 46 quartos e 53 criados. Fala sério, dá para não se apaixonar???
E eles se apaixonaram, ele a pediu em casamento, casamento marcado, era só love e coraçõezinhos flutuantes. Então já sabem, é nessa hora que o “sassafraz” faz a festa e acaba com tudo. Pois é, foi o que aconteceu, um mal entendido provocado, lógico, por Kathelyn e um amigo de infância, colocou tudo a perder. A história virou de cabeça para baixo. O coração da gente para, pula, para, pula… um horror o que a Babi fez com o leitor! Meu coração quase pifou!
Cada um vai para um lado, ela refaz a vida e ele fica mais rico. No entanto, um não esquece o outro, apesar das mágoas e raivas. Eles só se encontram 3 anos depois. Ela refaz sua vida cercada de mentiras, mas tem amigos que a apoiam. Ele fica obcecado para tê-la, pois a tem como uma cortesã, assim como todos pensam. Ele faz de tudo, tudo mesmo para tê-la e ela joga sujo com ele.
É tanto mal entendido, jogo, armadilha, vingança, coisas sem sentido para fazer a gente ficar com raiva. Tem horas que cansa, sério. São dois idiotas fazendo idiotices, fazendo o leitor de idiota heheheehe... mais ou menos isso.
E quando você pensa que acabou… hann tem mais, segredos são revelados, surpresas desagradáveis, mais tristeza… ufa! Babi caprichou, tornou o final do livro tenso.
E para minha surpresa, o bandido, salafrário, sem vergonha, vadio do duque decepciona e me deixa horrorizada com a atitude dele, por isso eu não esperava, não mesmo.
O quê?
Que final é esse?
Como assim?
Peraí, acho que perdi alguma coisa!
Não, o que é isso?


SPOILER!
Final lixo.
Lixo.
Babi A. Sette nadou, nadou e morreu na praia.
Estragou seu lindo trabalho.
Colocou tanta criatividade no meio do livro que chegou no final sem nada!
Indignada.
Indignada.
Onde eu reclamo heim?
Não acredito.
Falo mais nada.

E foi assim…
Assim…

Bjoo