Páginas

domingo, 18 de setembro de 2016

Trocada


Livro: Trocada -   Trilogia Trylle # 01
Autor: Amanda Hocking
326 páginas
3 estrelas


Sinopse:
Quando Wendy Everly tinha seis anos, sua mãe foi convencida de que ela era um monstro e tentou matá-la. Onze anos mais tarde, Wendy descobre que sua mãe poderia estar certa. Ela não é a pessoa que ela sempre acreditou ser, e toda a sua vida começa a ser desvendada. Tudo por causa de Finn Holmes.
Finn é um cara misterioso e parece estar sempre olhando para ela. Cada encontro deixa Wendy profundamente abalada. Mas não é muito antes de ele revelar a verdade: Wendy é uma changeling que foi trocada ao nascer e ele veio para levá-la de volta para casa.
Agora Wendy parte para uma viagem a um mundo que ela nunca soube que existia, um que é ao mesmo tempo belo e assustador. E onde ela deve deixar sua antiga vida para trás para descobrir qual será o seu destino.




Narrado na primeira pessoa por Wendy, que é uma adolescente de 17 anos, chata pra caramba, grosseira e rebelde. Tudo que não gosto. Quando menina sua mãe tentou matá-la dizendo ela não era sua filha, que ela foi trocada. Transferida de escola, porque foi expulsa de mais escolas que ela possa contar.
Por algum milagre ela fez amizade com Patrick, que forçou a barra para quela fizesse amizade com Finn, que é novo também na escola e vive encarando Wendy, e lógico, ela já implica com ele. Patrick não causava a mesma sensação incômoda que Finn lhe causava.
Até que chega um dia em que Finn percebe que ela está usando sua “persuasão” para convencer Patrick a fazer o que ela quer, aí ele tem uma conversa estranha com Wendy e diz quem ela é de verdade. Wendy é um trylle e ela foi trocada na maternidade e ele veio para levá-la de volta. Ela não acreditou em nada do que ele disse, mas ele deu um tempo para ela pensar. Só que a única coisa que ela pensa é que já gosta dele, mas do que deseja.
Finn queria levá-la, mas ela ainda não acreditava. Mas depois de ter uma conversa com sua mãe presa em um manicômio ela começa a aceitar a ideia.
E ela resolve voltar com Finn, mas não é nada do que ela esperava. Então ela volta sozinha, de volta para a família que ela sempre conheceu e percebeu que era bem melhor. Ela era filha de rainha, mas essa rainha não estava com nada!
Pelo que entendi, e Wendy também, os trylles são verdadeiros sanguessugas. Eles colocam os bebê deles em famílias ricas e quando eles têm 18 anos e retornam ao seu “lar” eles usam a persuasão para usar o dinheiro da família onde eles cresceram. Que lixo!
Só que não foi tão fácil quanto ela pensava, porque além da falta que ela sentia de Finn (afffff) ela quase foi sequestrada, se Finn não chegasse na hora iria “dar ruim”! E por causa disso Finn a leva de volta.
Em seu palácio de novo ela faz amizade com Rhys, o menino que foi trocado por ela.
Apesar de toda explicação que Finn dá a Wendy sobre os trylles, ela não consegue entender muito bem. Nem ela, nem eu. Até agora é um monte baboseira de uma raça que não pode se misturar, por isso Finn foi embora. Ele é de classe inferior da princesa Wendy, assim como Rhys, que é humano. Tem os Vittras que são inimigos e querem pegar a Wendy. Mas nada é explicado, é uma frustração, não é suspense nem mistério.
Agora que Finn foi embora Wendy fica meio perdida. Rhys nunca foi amado pela rainha, que aliás, é chata pra caramba. Assim Wendy resolve levar Rhys para sua família de verdade, coisa que não poderia acontecer.
E lá vamos nós para o segundo livro, que sabe lá tem as explicações?
E foi isso.
Bjoo.