Páginas

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

A Última Chance


Livro: A Última Chance - The Last Bride in Texas
Autor: Judith Stacy
220 páginas
3 estrelas


Sinopse:
Elizabeth Hill teve a má sorte de ver-se envolvida em um ousado assalto À banco, em plena luz do dia! Como se não bastasse já ter sido alvo de comentários na cidade, agora todos olhariam para ela como uma pobre vítima, enquanto o misterioso Connor Wade seria aclamado como herói. Na verdade, tudo o que ela queria era que a deixassem em paz.
.
Connor Wade não imaginava que Elizabeth fosse tão... atraente. Todos em Sterling a tratavam como se ela fosse uma espécie em extinção, uma solteirona sem a menor chance de arranjar um marido. Mas, no intimo, Connor tinha uma convicção... tinha a certeza de que, se conseguisse derrubar a barreira de altivez e agressividade que Elizabeth erguera a sua volta, encontraria uma mulher que valeria todo e qualquer sacrifício!



Até ri, faz séculos que não leio um faroeste hehehehe…
A história se passa no Texas em 1882, e já começa com o “mocinho” impedindo um assalto ao banco e salvando a vida de uma refém nada agradecida. Imagine, o “mocinho” estragou seu xale com o sangue do bandido! Hehehehe…
O mocinho se trata de Connor Wade e a refém mal agradecida é Elizabeth Hill. Connor está na cidade por causa de Elizabeth, foi um acaso se conhecerem assim. Elizabeth é uma solteirona, que não para de pensar no “insuportável” do Connor. E lógico que Connor está se deixando levar pelos encantos da moça.
Desde o início a gente sabe que Connor não está na cidade por acaso, e no desenrolar da história isso vai ficando cada vez mais claro, e, só vai ser revelado no final, final mesmo (eu achei tão fofo!). Mas antes disse eles vão se envolver de forma delicada e gostosa.
Também no final a gente descobre que nosso “mocinho” não tem nada de “mocinho”. Ouvi comentários dizendo que Elizabeth é insegura, mas temos que pensar que a história se passa em 1882, ela mora sozinha, é uma solteirona e não tem ninguém para protegê-la. O jeito de ser dela, é sua proteção.
Há também história dos personagens secundários, que foi pra encher linguiça, mas deu certo. Gostei de todos os personagens, uma pena ser um livro tão curto. Uma pena, também, Judith Stacy não ter aprofundado mais na história dos dois e dos personagens secundários. A falta disso deixou o livro fraco e com um final que parece que passaram a foice rapidamente. Mas dá para distrair, a leitura flui bem e desperta o interesse no leitor.
E foi isso.

Bjoo.