Páginas

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Dublin Street


Livro: Dublin Street -  Dublin Street # 1
Autor: Samantha Young
400 páginas
3 estrelas


Sinopse:
Traumatizada pelo seu trágico passado, a americana Joss muda-se para a Escócia, na romântica Edimburgo, onde espera começar uma nova vida. Durante quatro anos tenta negar memórias dolorosas, refugiando-se na escrita, no sonho de um dia, finalmente, pôr os seus fantasmas no papel. Mas de repente tudo muda. Quando vai morar em um luxuoso apartamento na Dublin Street, conhece o desconcertante Braden, um carismático milionário que exerce sobre ela um irresistível fascínio. Joss se vê numa encruzilhada. Sabe que a atração entre ambos é imediata, avassaladora. Mas os demônios do seu passado a impedem de se entregar ao sensual escocês. É então que ele lhe propõe um estranho acordo, que lhes permitirá explorar a atração entre eles sem se envolverem emocionalmente. Joss aceita. E no início acredita, inocentemente, que o acordo vai dar certo. Mas Braden quer mais, muito mais, quer tudo. Quer desvendar todos os seus segredos - e está disposto a mudar o que for preciso para tê-la por inteiro. Mas será que ela está disposta a ir até o fim?





Narrado na primeira pessoa por Joss, com uma escrita fácil e rápida. Fazia tempo que não lia algo em na primeira pessoa, mas senti falta da narração masculina, do Braden gato.
Joss está a procura de uma companheira de quarto, pois não quer morar sozinha. E no dia em que ela vai conhecer um apartamento ela se vê obrigada a dividir o táxi com um cara de terno que puxa assunto com ela. E o cara de terno mexe com ela como nunca havia acontecido. Também é um baita cara.
E Joss se apaixona pelo apartamento e se simpatiza com a nova colega de quarto, Ellie. Agora, duvido você adivinhar quem é o irmão da Ellie? Pois é, o cara de terno do táxi, Braden. E nem vou contar o que aconteceu quando ele foi conhecer a nova companheira de quarto da irmã. A única coisa que vou falar é: ulalá!
Sério, Joss é chata pra caramba, uma marmanjona infantil, cheia de mimimi porque não quis se tratar dos traumas passados na época certa. Agora que está se sentindo atraída por Braden e se aproximando da família dele está cheia de ataque de pânico. Graças a Deus a autora fez ela tomar consciência e começar a se tratar com uma terapeuta, senão não daria para continuar leitura com uma protagonista tão chata, apesar de a leitura ser bem fluida e leve.
Gente, Braden é um amorzinho de homem das cavernas hehehehe… mas Joss… pelamor! Que menina chata, toda cheia de mimimi, com pena de si mesma. Acha que tudo de ruim que acontece a seu redor é por sua causa, affff! Tem que ter paciência, porque se tiver força Joss leva uns tapas!!
Ela está fazendo meu queridinho Braden sofrer, abandonando ele e amigos. Meu pai, quanto ela está pagando para essa terapeuta fajuta??
Sorte da Joss está rodeada de gente que a ama e Braden não é menino, é inteligente e sabe lidar com ela.
O final é bonitinho, não esperava nada diferente, mas fora a raiva que protagonista me causou, foi gostoso se ler. Distrai direitinho.
E foi isso.
Bjoo Braden!
Bjoo.