Páginas

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Noiva Trocada

Capa nada a ver

Livro: Noiva Trocada
Autor: Catherine Coulter
224 páginas
3 estrelas


Sinopse:
A irmã errada... ou a irmã certa?
Douglas Sherbrooke, o conde de Northcliffe, decidiu que chegou a hora de se casar e ter um herdeiro. E quem melhor do que a deslumbrante Melissa Chambers para ser sua esposa e mãe de seu filho? Entretanto, quando surge um imprevisto que o obriga a viajar, ele pede a seu primo, que o ajude a se casar com ela por meio de uma procuração... E qual não é sua surpresa, ao retornar, e encontrar à sua espera, em lugar de Melissa, a irmã dela, Alexandra!
Desde os quinze anos de idade, Alexandra é apaixonada pelo charmoso conde, e sem querer, de repente ela se vê casada com o objeto de seus mais românticos sonhos juvenis! Embora o casamento tenha sido um engano, uma vez que a intenção de Douglas era casar-se com sua irmã. Alexandra, porém, não perderá a oportunidade de conquistar o coração do teimoso Douglas, e provar ao marido que ele se casou com a irmã... certa!




Nunca tinha lido um livro assim, pelo menos com esse início. E começa com uma reunião trimestral entre Douglas e seu irmão, sobre a atualização dos bastardos que eles têm. Sério, fiquei pasma hehehehehe… é uma filharada! Um bando de bastardo e nem sei quantas mulheres. Tá louco!!!
E ainda assim há uma pressão sobre o conde de Northcliffe, Douglas, para que ele se case e tenha um herdeiro, porque bastardo e nada é a mesma coisa. Sendo assim ele escolheu uma moça, filha de duque, que já havia conhecido a 3 anos e não se casou com ela porque entrou para o exército. Agora que já não estava mais no exército a alguns meses enviou uma carta ao duque comunicando seu interesse.
No dia em que chegou a carta resposta do duque aceitando, chegou também outra carta, a qual ele teria que viajar em uma missão. Sendo assim, ele pediu a seu primo, um marquês, o qual ele se dava muitíssimo bem, para casar por meio de uma procuração. Douglas partiu para a missão e o primo foi com a procuração ao encontro do duque. O marquês chegando lá, se apaixonou pela noiva do conde e ela por ele.
Agora imagine a coisa: o marquês se casou com a noiva do primo e usou a procuração para casar o conde com a irmã da noiva! Agora pense no rolo que deu quando o conde chegou de viagem e foi a procura de sua esposa e encontrou uma estranha!!! Fiquei com pena da esposa, a Alexandra. Ele foi terrível com ela. Apesar de ingênua ela não era burra, nem um pouco. Mas o que ela enfrentou não foi fácil, inclusive a sogra megera, mas o pior mesmo foi encarar as grosserias de Douglas. Até o momento em que ela decidiu ir embora. Aí a coisa começou a mudar.
Alexandra é uma gracinha, até os empregados já gostavam dela, lógico que o conde não resistiria, mas aí a história dá uma baita reviravolta, em consequência da missão em que Douglas havia participado. Foram momentos de tensão, perigo e tristeza. De novo Alexandra sofreu uma baita injustiça, mas dessa vez o conde estava a seu lado.
Agora o final… pelamor, cadê o final? Foi um corte abrupto, sem graça pra dedéo. Não se faz isso. Foi pior que final aberto, aliás, eu ODEIO final aberto. Merecia um epílogo legal, um carinho para Alexandra.
Se parar para pensar o início e final do livro, a autora vacilou feio, faltou criatividade para começar e para terminar, mas ela soube trabalhar entre os dois, ufa! A história é gostosa de se ler, os personagens são bons. Até as atitudes do conde, embora difícil de aceitar, são justificáveis. Não é um romance de amor a primeira vista e nem tem melação, apesar de gostar das duas coisas (fazer o quê? Sou pra lá de romântica!)
E foi assim que aconteceu.
Bjoo.