Páginas

domingo, 4 de dezembro de 2016

A Dama de Companhia


Livro: A Dama de Companhia
Autor: Deborah Simmons
123 páginas
2,5 estrelas


Sinopse:
Inglaterra, 1815
Salvo por um anjo apaixonado!

Seriamente ferido no campo de batalha, Kit Armstrong, conde de Hawthorne, voltou para casa para receber cuidados médicos.
Mas como fazê-lo voltar à vida, se tudo que ele desejava era ter perecido no campo de batalha como tantos outros?
Chloe era apenas uma dama de companhia. Mas sua alegria quase juvenil, seu sorriso radiante mesmo diante das maiores adversidades e seu jeito amoroso fez com que os olhos de Kit Armstrong readquirissem o brilho então inexistente. Seria o amor o responsável por trazê-lo de volta à vida?





Fraquinho que só. Parece um conto de fada, só que ele é a cinderela.
Kit, capitão que volta da guerra ferido, levou um fora da noiva, perdeu o irmão e assumiu o título de conde que pertencia a ele. Mergulhado na depressão, não queria assumir o título nem suas obrigações. Não aceitava viver enquanto muitos sob seu comando haviam morrido e não queria tomar o lugar que pertencia a seu irmão. E para piorar acreditava ter ficado impotente.
Sua avó tentou de todo jeito trazê-lo a “vida” de novo, mas não estava conseguindo. Foi quando aproveitou uma oportunidade de usar Chloe como dama de companhia. Uma parente distante, que estava passando por maus momentos também, mas era bonita e inteligente.
O livro é muito pequeno, a história é corrida. Parece tudo forçado. Mesmo assim os personagens são cativantes. Kit se encanta por Chloe e se deixa envolver, não consegue, na verdade, resistir. Kit é lindo, apesar de amargurado, é sedutor. Chloe é cativante, um amorzinho. A avó é mulher forte, de fibra.
Uma pena o livro ser tão pequeno com um argumento tão bom e personagens cativantes. Um conto de fada contado as pressas. Por isso perdeu seu encantamento.
E foi assim.
Bjoo.