Páginas

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Terra do Céu Aberto


Livro: Terra do Céu Aberto – Série Big Sky 01
Autor: Linda Lael Miller
320 páginas
2 estrelas

Sinopse:
Filho ilegítimo de um fazendeiro rico, o xerife Slade Barlow foi criado somente pela mãe, sem jamais ser reconhecido pelo pai… Até receber uma notícia inesperada. De uma hora para outra Slade se tornou herdeiro de metade da fazenda Whisper Creek, uma das mais prósperas em Parable, Montana. Mas seu meio-irmão, Hutch, não fica feliz com a novidade. Afinal, ele sempre gozou de todos os privilégios de pertencer à família Carmody, incluindo a afeição de Joslyn Kirk, a mais aclamada Rainha do Rodeio e a mulher que Slade jamais esqueceu. Porém, Joslyn já não era a mesma menina mimada desde que conhecera a face dura da vida. Mas alguém precisa convencê-la de que ela é responsável apenas pelos próprios atos. Incluindo ter roubado o coração de Slade, o homem da lei de Parable…





Que livro é uma canseira louca para se ler. Linda Lael Miller escreve, escreve, escreve e não sai do lugar. E ainda assim não temos uma descrição boa dos personagens nem noção das datas.
O xerife Slader nunca foi reconhecido pelo pai, mas depois que morreu deixou metade de tudo que tinha, e não era pouco, para ele e a outra metade para Hutch, o filho legítimo. Os dois não se dão muito bem, mas todas as vezes que a escritora colocou eles juntos, eles sempre se acertaram e não houve grandes conflitos entre irmãos.
Joslyn está de volta a cidade depois de alguns anos. O padrasto dela lesou muitas pessoas e foi preso por isso, mas a songa monga se sente responsável. Ela teve um namorico com Hutch na adolescência e hoje são só amigos. Slader nunca foi próximo dela. Mas agora com ela de volta eles se sentem super atraídos. O chato é que eles quase não se falam, e quando se falam Joslyn está sempre irritada, coisa chata sem fundamento. Eles não conversam nada profundo, nem têm trocas de olhares, nada, nada que nos convença que eles devam ser um casal.
Uma escrita que não diz nada, não convence nem cativa. Um livro enfadonho cheio de palavras. Leia a sinopse, é mais emocionante.
E foi isso.
Bjoo.