Páginas

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Trilogia As Guerras do Mundo Emerso



  

As Guerras do Mundo Emerso
Licia Troisi



Livro: A Seita dos Assassinos - As Guerras do Mundo Emerso # 1
Autor: Licia Troisi
443 áginas
4 estrelas


Sinopse:
Nesta trama, passaram-se apenas quarenta anos da grande guerra que acabou com o reinado de Aster, o Tirano, mas a região continua em busca de paz. Dohor, o Cavaleiro de Dragão que se tornou o rei da Terra do Sol, cada vez mais estende a sua influência às Terras Emersas, mas ele não é o único a tramar em busca do poder. Composta por homicidas, a misteriosa Guilda dos Assassinos ressuscitou o culto sanguinário de Aster. Dona do obscuro dom de matar, Dubhe, de 17 anos, é uma das recrutadas pela seita para levar a cabo seus planos, embora a jovem tenha jurado nunca mais tirar a vida de alguém. Magia, mistério e heroísmo estão de volta em mais uma aventura épica.


Dubhe sem querer matou, sem querer, seu coleguinha quando brigavam, por isso foi expulsa de sua cidade. Após um tempo ela conhece Sarnek, um assassino que fugiu da Guilda dos Assassinos (coisa do mal mesmo!) e passou a ser seu mestre. Só que mais tarde a Guilda passou a se interessar por Dubhe, afirmavam que ela era uma criança da morte, porque matou quando ainda era criança. A certa altura, alguns anos depois de estarem juntos, Snark, antes de morrer, faz Dubhe prometer que não matará e esquecerá de tudo que ele lhe ensinou.
No entanto, a Guilda já tinha planos para ela e lhe lançou um selo, uma espéie de maldição que a tornava uma fera assassina, eles enganaram ela com uma promessa de cura, se ela se juntasse a eles. E lá foi ela, se juntar aos assassinos, mas ela não acreditava em nada daquilo.
Lonerin estava infiltrado na Guilda para tentar descobrir quais seus planos. E foi assim que ele conheceu Dubhe e se juntaram. E como ele é um mago, ele contou a verdade sobre seu “selo”, que não havia cura da forma que prometeram a ela. Coisa que ela já desconfiava.
Dubhe descobriu quais eram os planos da Guilda e fugiu com Lonerin para informar ao povo das águas, se não me engano, esqueci, mas é de onde Lonerin veio. Outra coisa, há uma certa atração entre Lonerin e Dubhe, mas é algo bem leve, mais um indicativo de que pode haver algo entre eles, o que não acontece nesse livro. O que acontece nesse livro é uma indicação do ocorrerá no próximo, que é a busca por Senar, o mito, que é um personagem da Trilogia Crônicas do Mundo Emerso e a busca do filho de Senar e Nihal, que esse é o que dará seguimento ao plano da Guilda. E esse plano é terrível.
O livro tem narração alternada entre passado e presente. Assim conhecemos toda a história de Dubhe, uma assassina, até que ela se junta a Lonerin, um mago. É uma história com momentos de tensão e sangue, muito sangue e uma seita macabra com assassinos cruéis. Esse primeiro livro é com uma introdução para a história em si, mas nem por isso é menos emocionante, pois somos envolvidos na narração e a leitura de 400 páginas é rapidinha.
E foi assim.
Bjoo.





Livro: As Duas Guerreiras - As Guerras do Mundo Emerso # 2
Autor: Licia Troisi
400 páginas
4 estrelas



Sinopse:
Dubhe precisa livrar-se do selo da maldição que lhe fora impresso pela Guilda, seita de assassinos da qual fugira. E a sua melhor chance de se livrar deste selo é encontrar um mago capaz de quebrá-lo. Para isso, se alia a Lonerin, o jovem mago que a ajudou na fuga. Os jovens partem para as Terras Desconhecidas para encontrar o lendário mago Senar – o único capaz de quebrar o selo de Dubhe e também a grande esperança dos habitantes dos territórios livres de ganhar a guerra –, sem saber que estão sendo perseguidos por Rekla, antiga monitora de Dubhe na Guilda, e outros dois assassinos.
No caminho até o mago, sentimentos inesperados vêm à tona e o dois têm que lidar com revelações surpreendentes sobre os respectivos passados e confrontar os implacáveis assassinos enviados por Yeshol, sacerdote da Guilda, em um terreno perigoso, onde a magia não funciona da maneira que eles conhecem.
Ao mesmo tempo, no Mundo Emerso, o gnomo Ido, supremo general, sai em busca de Tarik, o filho de Senar que, após uma rixa com o pai, partiu das Terras Desconhecidas e está sendo procurado por Dohor e Yeshol para ser sacrificado no ritual que trará o Tirano de volta à vida.


As aventuras continuam. Agora Dubhe e Lonerin vão para as Terras Desconhecidas em busca do mago Senar, para ajudar a impedir os planos da Guilda dos Assassinos e mais uma vez derrotar o Tirano. Ao mesmo tempo em que Dubhe tem o interesse em descobrir como acabar com sua maldição, o selo, colocado pela Guilda. E nesse ponto temos uma revelação (claro).
E Ido vai a procura de Tarik, filho de Senar e Nihal, o qual Yeshol e Dohor têm planos de usá-lo para trazer de voltar Aster, o Tirano.
Mas nada é muito fácil, pois atrás de Dubhe e Lonerin está Rekla, a monitora de Dubhe, uma das mais fortes e cruéis da Guilda Assassina. E Ido vai ter que encarar outro assassino poderoso da Guilda, Sherva.
Uma história com reviravoltas, aventuras, ação e ainda com um leve toque de romance, que aliás me decepcionou. Queria dar uns socos na Dubhe. Mesmo assim gostei muito. É um livro envolvente e escrito de forma a nos deixar em suspense a cada término de capítulo.
E é isso.
Bjoo.



Livro: Um Novo Reino - As Guerras do Mundo Emerso # 3
Autor: Licia Troisi
445 páginas
2 estrelas


Sinopse:
O fim da guerra do Mundo Emerso está muito próximo. E alianças inesperadas podem fazer toda a diferença. Dubhe e Lonerin tiveram sucesso na busca pelo mago Senar, mas, de volta das Terras Desconhecidas, os jovens são novamente enviados em perigosas missões. Em Um novo reino, terceiro volume da série As guerras do Mundo Emerso, Licia Troisi separa seus heróis em missões distintas. Dubhe e Lonerin partem em caminhos diferentes em novas aventuras em busca de uma solução para o fim do conflito. Agora, Dubhe tem como aliada Theana, uma jovem maga que estudou com Lonerin. As duas partem rumo ao palácio real na Terra do Sol para matar o cruel Dohor, o ditador responsável pelo selo de Dubhe e que juntou forças com a Guilda dos Assassinos. Porém, a viagem não é fácil e logo as jovens são capturadas pelas tropas do perverso rei. O destino as leva até Learco, jovem príncipe, filho do ditador, que consente que as duas o acompanhem até a corte como escravas. No caminho para Makrat, capital do império, Dubhe e Learco se tornam próximos demais e um amor proibido começa a surgir, colocando em risco toda a missão das jovens. Enquanto isso, Lonerin parte ao lado de Senar em busca do antigo amuleto de Nihal. O artefato é a última chance dos rebeldes impedirem o renascimento de Áster, o Tirano. Nesse ínterim, o gnomo Ido toma para si a tarefa de proteger San, neto de Nihal e Senar, o menino que Yeshol e Dohor buscam para usar como receptáculo da alma de Áster. Simultaneamente, o Conselho dos Territórios Livres se reúne e decide lançar um decisivo ataque contra a Guilda e o exército de Dohor. E Dubhe vai ser forçada a escolher entre seu novo amor e o futuro de todo o Mundo Emerso. Três missões que se cruzam e determinam o destino do Mundo Emerso. Revelações inesperadas, alianças surpreendentes e muita aventura dão o ritmo a Um novo reino.




Confesso que tive uma certa dificuldade em ler esse livro, isso porque pra mim, e isso é bem pessoal, a Dubhe virou uma “vaca” no livro 2, sério. Eu não comentei lá, mas desabafo aqui. Como ela trata o Lonerin desse jeito? Ahhh pode parar!
Agora a missão aumenta e há mais grupos para realizarem tarefas diferentes. Todas com ação e suas dificuldades. E muitas decepções, pelo menos pra mim.
  • Dubhe continua chata e fazendo droga;
  • A Fera que domina Dubhe é uma besteira;
  • Senar que era um herói, é um velho chato pra caramba;
  • Theana, a maga, sem noção;
  • San, o filho da Lenda, um adolescente típico fazendo besteira(eca);
  • Learco, filho de Dohor, um dos “mauzões”, cheio de mimimi;
  • O romance entre a chata e o mimizento, ops, Dubhe e Learco, NADA a ver;
  • Lonerin e Theana? Forçou, e muito.
  • Acabaram com meu gnomo magnífico, o Ido.


Até do “mauzão” do Yeshol eu gosto, porque ele se propôs a ser ruim e foi com categoria!
Apesar das aventuras e ação, eu não gostei tanto quanto os dois primeiros.
Para fechar meu comentário: Licia Troisi deu uma pincelada com tinta ruim, estragou os personagens, tudo que ela construiu em Crônicas do Mundo Emerso, ela estragou aqui. Se desfez de lendas, heróis, criou romances para torná-los ridículos, criou personagens com expectativas para destruí-los. Ela devia estar chapadona quando escreveu esse livro.
E foi isso.
Bjoo.