Páginas

sábado, 18 de fevereiro de 2017

A Arte da Conquista



63/200
Livro: A Arte da Conquista
Autor: Nicola Marsh
183 páginas
3 estrelas


Sinopse:
Nunca misture negócios com prazer... Esta era uma regra inquebrável para Cooper Vance. Ele é bem sucedido, solteiro e sexy. E pretende permanecer assim... Pelo menos até entrar em uma galeria de arte determinado a comprá-la e avistar uma mulher capaz de lhe tirar o fôlego. Sabendo que estão em lados opostos, será ele capaz de quebrar suas próprias regras e fazer de Ariel sua amante? 




Antes de tudo: O que essa capa tem a ver com a história? E esse título? Pelamor! Quanta insensatez!


Ariel herdou uma galeria de arte que ajuda pessoas carentes, assim como ela foi ajudada anteriormente. E agora ela está para perder a galeira, pois uma empresa está querendo comprar todo o local e construir outra coisa.
Cooper é o rico lindo e gostoso que ficou encarregado de levar uma proposta sobre o assunto de venda a ela, mas não é só isso, Cooper tem outro interesse por trás. Bem, ele tinha só um interesse, mas quando parou para observar bem Ariel, passou a ter outros interesses também.
A forma como eles se conheceram foi realmente divertida, um engano terrível da parte dela e garantia de boas risadas para o leitor.
Ariel e Cooper é (ou são? Fiquei confusa agora) um casal que não tem nada a ver: ele um empresário bem sucedido e ela meio cigana dona de uma galeria de artes falida. Mas quis a autora juntá-los, fazer o quê? Mas confesso que é um casal bonitinho.
A história é boazinha, também gostei dos personagens, apesar de achar que juntá-los foi forçar a barra, mas eles são fortes, com personalidade. A escrita é boa, sem perda de tempo com blá blá blá. Agora o final a autora me matou, sério, em uma semana, poxa, uma semana?? Pois é, declaração de amor e as declarações “besteirentas”, aquelas “coisaradas” melosas e bobas. Aí arranhou minha leitura. Mas tudo bem, me distrai.
E foi isso aí!
Bjoo.