Páginas

quinta-feira, 2 de março de 2017

Amor Nos Tempos do Ouro


86/200
Livro: Amor Nos Tempos do Ouro
Autor: Marina Carvalho
328 páginas
3 estrelas

Sinopse:
Sabes que nunca me apaixonei, maman, mas se porventura o tivesse feito, seria por alguém como ele?”
Cécile Lavigne perdeu todos os que amava e agora está sozinha no mundo. Ela, uma franco-portuguesa que ainda não completou vinte anos, está sendo trazida ao Brasil pelo único parente que lhe restou, o ambicioso tio Euzébio, para casar-se com o mais poderoso dono de terras de Minas Gerais, homem por quem Cécile sente profundo desprezo.
Após desembarcar no Rio de Janeiro, Cécile ainda precisará fazer mais uma difícil viagem. O trajeto até Minas Gerais lhe reserva provações e surpresas que ela jamais imaginaria. O explorador Fernão, contratado por seu futuro marido para guiá-la na jornada, despertará nela sentimentos contraditórios de repulsa e de desejo.
Antes de enfim consolidar o temido casamento, Cécile descobrirá todos os encantos e perigos que existem nessa nova terra, assim como os que habitam o coração de todos nós. Com o passar dos dias, crescerá dentro dela a coragem para confrontar todas as imposições da sociedade e também o seu próprio destino.



Cécile perdeu os irmãos e os pais. Seu tio ganancioso em pouco tempo arranjou um casamento para ela, um que lhe traria lucro.
Sendo assim, ela foi trazida para o Brasil a fim de se casar, só que o noivo não morava no Rio de Janeiro, como seu tio, mas em Minas Gerais. E naquela época, em 1735, chegar em Minas não era nada fácil. Por isso seu noivo, um velho muito do mal, contratou um aventureiro lindo de viver e de morrer, para levá-la do Rio a Minas.
No meio trajeto alguns “arrepios” surgiram entre ela e o tal ventureiro, o Fernão. E a cada conversa que ela ouvia falar da qualidade de seu noivo, seu medo aumentava. Tanto que ela pediu a Fernão para não ser entregue a ele. Fernão preferiu seguir o contrato com o noivo e entregou a noiva.
Mais tarde ele se arrependeu, isso porque já estava caído pela noiva do velho e porque viu que o velho era pior do que ele já sabia ser. Sendo assim ele raptou a noiva do velho. Pior, casou com ela para salvá-la, mas a coisa ficou foi feia, porque o velho foi atrás deles. E assim veio sofrimento, tristeza, revelação, luta...
A história é bem escrita, teve pesquisa, eu creio, mas, mesmo assim, eu custei um pouco a aceitar. Veja bem, Cécile é uma francesinha muito boa e forte ao mesmo tempo. Não vê diferença entre raças e luta pelo acredita. Briga pelos escravos e chegou a beijar um no rosto como se fosse a coisa mais natural. Até aí tudo bem, só que o ano é 1735. É muito ousadia para uma mulher que foi trazida da França para se casar, com quem nem conhecia no Brasil, sem o direito a se negar e nem contestar. Tem outras coisas que achei forçado. Se fosse 1880 por aí, seria mais fácil de aceitar. Bem, isso na minha cabeça.
Mas a história é bonitinha, o casal é bonitinho, a história de fundo é boa, os personagens são bons. Só achei que a autora podia escolher outra data para encaixar a protagonista.
E foi isso.
Bjoo.