Páginas

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Royal Four Club


  

Royal Four Club
.
Celeste Bradley







117/200
Livro: O Lorde e a Camponesa – Royal Four Club #01
Autor: Celeste Bradley
221 páginas
3 estrelas

Sinopse:
Inglaterra, 1813
Um casamento inesperado
Tendo perdido os pais ainda criança, Willa Trent foi criada por um casal simples, donos de uma estalagem em um pequeno povoado. Quando ela socorre o rapaz que atingiu sem querer com uma pedrada de estilingue, as circunstâncias a envolvem numa situação escandalosa, e a família exige que eles se casem imediatamente. Com um charmoso marido e um novo futuro pela frente, o otimismo de Willa não tem limites, até que ela descobre o mundo secreto e perigoso de Nathaniel Stonewell, conde de Reardon, também conhecido como o "lorde traidor"…
Embora Nathaniel seja criticado por toda a população da Inglaterra por seus atos contra a Coroa, ele é, na realidade, membro de uma confraria de elite de defensores do rei, envolvido numa audaciosa missão secreta. Ele precisa, a todo custo, guardar segredo de suas atividades, principalmente de Willa. Embora esteja fascinado por ela, Nathaniel teima em não se render à paixão, preferindo acreditar que é melhor dar as costas ao amor do que arriscar tudo por ele. Sua noiva, porém, tem outros planos...



Tinha tudo para ser excelente, mas não sei o que aconteceu que Celeste Bradley que estragou tudo hehehehe… bem, nem tudo. Vou tentar explicar.
A autora pegou temas sérios e brincou com eles, baixou para um nível de “bobices”.
Já assistiu George, o Rei da Floresta?
Um ator lindo (ulalá!!) fazendo um papel em um filme bobo pra caramba. Foi isso que a autora fez. Pegou personagens bons, história boa e avacalhou. Mesmo assim não desisti, li tudinho. Loucura né?
Vai ver ela boa escritora mesmo!
Willa mora em uma vila, foi adotada pelos moradores depois que seus morreram, pois era muito querida por todos. A princípio em torno dela girava uma história de maldição azarada, que foi esquecida depois. Nathaniel em perseguição a um traidor da coroa foi “abatido” sem querer por Willa, que o socorre. Só que em decorrência disso ela se vê em uma cilada, correndo o risco de ficar mal falada, coisas da época da Inglaterra de 1813. Nathaniel como um bom cavalheiro a pede em casamento e ela aceita. Na verdade ela tinha certeza que ficaria solteirona, porque tinha um azar lascado com seus pretendentes.
Depois disso as coisas se complicam, porque Nathaniel é um agente secreto e carrega a fama de traidor, e que, devido a sua missão não pode desmentir. Mas Willa é muito linda (em personalidade, fisicamente também), corajosa, forte, ousada e doce ao mesmo tempo. Difícil não gostar dela, que aliás era plano de Nathaniel, mas não teve como, se apaixonou.
Ao longo da história personagens são introduzidos, trazendo novidades e mistérios. Willa mesmo corre perigo. E a história de Willa e Nathaniel se cruzam de uma forma legal e o final é muito fofo.
Resumindo, O Lorde e a Camponesa é uma história com agentes secretos, perseguição, morte, intrigas, injustiças, romance, amor não correspondido, vingança, segredos e claro – muitas revelações. Maaaas, pois é, tem o “mas”, autora tirou toda a seriedade do argumento, tornando um livro fraco. Uma pena, uma pena… Mesmo assim eu gostei, não me julguem.
E foi assim mesmo.
Bjoo.






118/200
Livro: A Primeira Noite de uma Mulher – Royal Four Club #02
Autor: Celeste Bradley
223 páginas
3 estrelas

Sinopse:
Inglaterra, 1813
Um homem com um segredo…
Dane Calwell é tudo o que Olivia poderia esperar de um marido. Atraente, charmoso, afável e até um pouco misterioso. Lembrar da noite de núpcias a faz corar de timidez. No entanto, ela se pergunta com o quê, afinal, Dane se ocupa durante todo o dia. As reuniões secretas com desconhecidos, as estranhas idas e vindas... Tudo aquilo a deixa desconfiada e temerosa. Será que seu adorado marido está envolvido em algo perigoso?... Dane sabe que a mulher com quem se casou há poucos dias é aprumada, bem-nascida e extremamente cativante. Mas acaba de descobrir que Olivia também é a criatura mais curiosa que já conheceu. Geralmente as mulheres não se preocupam em saber o que o marido faz durante o dia. Por que será que Olivia vive se intrometendo em questões que não lhe dizem respeito? Ele até acha a curiosidade dela algo divertido, encantador e um pouco sensual. Mas quando ela começa a chegar perto demais da missão na qual ele está envolvido, Dane precisa detê-la antes que corra o risco de perder sua linda esposa para sempre!


Celeste Bradley vai pelo mesmo caminho do livro anterior, pega um tema sério e dá meio que uma avacalhada.
Dane é um agente secreto que quer se casar e ter filhos, para isso escolhe Olívia, que na verdade, não foi bem escolhida, porque ele meio que caiu em uma armadilha da mãe de Olívia. De todo jeito eles se casam, mas nada de consumar o casamento, pois Dane tem um “probleminha”, na verdade um “problemão”, se é que me entende. Ele é um baita de um homão, um deus viking. Então imagine o tamanho da “ferramenta de consumação!”.
Só que a história não é só isso. Tem muito coisa acontecendo. Tentam matar o príncipe George, a Olívia, há sequestro, mal entendido, tiroteio, luta, mentiras, feridos, injustiça, traição, ciúme, romance, coragem… um misto de emoções e certa dose de tensão. Mas não consigo levar a escrita dela a sério. Por isso estou desistindo de ler os próximos dois livros da série, que são: Um Espião em Minha Vida 03 e Adorável Mentirosa 04.
E foi isso.
Bjoo.